“Quem matou a senhora batata?”: possibilitando a aprendizagem em genética por meio de uma sequência de ensino investigativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2598

Palavras-chave:

Ensino por investigação, Educação científica, Aprendizagem, Genética

Resumo

A compreensão de conceitos de genética, dos genes e da molécula do DNA são de grande importância para a formação dos conhecimentos consolidados pelos estudantes sobre a estruturação da vida.  Entretanto, a aprendizagem de genética é, por vezes, tida como desafiadora devido à terminologia específica e aos conceitos abstratos, resultando em dificuldades dos estudantes na aprendizagem desse conteúdo curricular. Nesse sentido, buscar novas estratégias de abordagem pode favorecer uma experiência mais dinâmica e motivadora, tendo em vista a promoção da autonomia dos estudantes. Para isso, apresentamos uma proposta de intervenção pedagógica, que se configura como uma Sequência de Ensino Investigativa (SEI), alicerçada metodológica e teoricamente nos pressupostos de Carvalho (2013), que utiliza como gatilho motivador uma atividade investigativa criminal fictícia, traçando paralelos entre o contexto real e a educação científica. Como resultado, destaca-se que a presente SEI pode potencializar os processos de ensino e aprendizagem de genética, tornando as aulas mais contextualizadas e significativas em prol do engajamento e valorização do protagonismo dos discentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Weligton José Peruch Junior, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Licenciado em Ciências Biológicas pela Escola Superior São Francisco de Assis - ESFA, especialista em Metodologia do Ensino de Ciências Biológicas, pelo Centro Universitário Leonardo da Vince – Uniasselvi. Professor, em designação temporária, na EEEFM Ermentina Leal. Atualmente mestrando em Ensino de Biologia em Rede Nacional - PROFBIO, na Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, campus São Mateus - CEUNES.

Viviana Borges Corte, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Possui pós-doutorado em Educação pela University of Cape Town, UCT, África do Sul. Doutora e mestra em Ciência Florestal (UFV), Bióloga (UFES), Professora do Departamento de Ciências Biológicas (UFES), do Programa de Pós-graduação em Biologia Vegetal (UFES) e do PROFBIO - Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional (UFES). 

Michell Pedruzzi Mendes Araújo, Universidade Federal de Goiás - UFG

Possui graduação em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011), graduação em PEDAGOGIA pelo Centro Universitário de Maringá (2020), MESTRADO em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (2014)- Capes 5 e DOUTORADO em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (2020)- Capes 5. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Goiás. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação inclusiva, educação especial, síndromes cromossômicas, subjetividade, constituição identitária e ensino de Ciências da Natureza.

Referências

ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos; ALVES, Leonir Pessate (Org.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 5. ed. Joinville, SC: UNIVILLE, 2015.

AUSUBEL, David Paul. The psychology of meaningful verbal learning. Grune & Stratton, 1963.

BORGES, Regina Maria Rabello; LIMA, Valderez Marina do Rosário. Tendências contemporâneas do ensino de Biologia no Brasil. Revista electrónica de Enseñanza de las Ciências, v. 6, n. 1, p. 165-175, 2007.

CARVALHO, Anna Maria Pessoa de et al. O ensino de ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. Ensino de ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, v. 1, p. 1-19, 2013.

DAMIANI, Magda Floriana et al. Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Cadernos de educação, n. 45, p. 57-67, 2013.

ESPÍRITO SANTO. Secretaria da Educação. Currículo Básico Escola Estadual. Ensino médio : área de Ciências da Natureza /. – Vitória : SEDU. v. 2. 2009 Disponível em: https://sedu.es.gov.br/Media/sedu/pdf%20e%20Arquivos/Ensino%20M%C3%A9dio%20-%20Volume%2002%20-20Ci%C3%AAncias%20da%20Natureza.pdf Acesso em: 07 mai. 2021.

FERRAZ, Arthur Tadeu; SASSERON, Lúcia Helena. PROPÓSITOS EPISTÊMICOS PARA A PROMOÇÃO DA ARGUMENTAÇÃO EM AULAS INVESTIGATIVAS. Investigações em ensino de ciências, v. 22, n. 1, 2017.

GRIMES, Camila; SCHROEDER, Edson. Os conceitos científicos dos estudantes do Ensino Médio no estudo do tema" origem da vida". Ciência & Educação (Bauru), v. 21, n. 4, p. 959-976, 2015.

MASINI, Elcie F. Salzano; MOREIRA, Marco Antonio. Aprendizagem significativa na escola. Curitiba, PR: CRV, 2017.

SASSERON, Lúcia Helena. Alfabetização científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), v. 17, p. 49-67, 2015.

SCARPA, Daniela Lopes; CAMPOS, Natália Ferreira. Potencialidades do ensino de Biologia por Investigação. Estudos avançados, v. 32, p. 25-41, 2018.

SILVA, Laiza Cristina Ricatto da; COSTA, Adriano Goldner.; ARAÚJO, Michell Pedruzzi Mendes; FERNANDES, Valéria de Oliveira. Ensino de microalgas por meio de modelos didáticos: tornando o mundo microscópico visível e significativo. Revista Educar Mais, v. 5, n. 2, p. 179-197, 2021. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/educarmais/article/view/1917. Acesso em: 25 ago. 2021.

SILVEIRA, Lia Márcia Cruz; RIBEIRO, Victoria Maria Brandt. Grupo de adesão ao tratamento: espaço de “ensinagem” para profissionais de saúde e pacientes. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, SP, v. 9, n. 16, p. 91-104, 2005.

TRIVELATO, Sílvia L. Frateschi; TONIDANDEL, Sandra M. Rudella. Ensino por investigação: eixos organizadores para sequências de ensino de biologia. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), v. 17, n. SPE, p. 97-114, 2015.

Downloads

Publicado

2021-10-26

Como Citar

Peruch Junior, W. J. ., Borges Corte, V., & Araújo, M. P. M. (2021). “Quem matou a senhora batata?”: possibilitando a aprendizagem em genética por meio de uma sequência de ensino investigativa. Revista Educar Mais, 5(5), 1330-1347. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2598

Edição

Seção

Artigos