Elasticidade do social: a relação saúde-educação e o disciplinamento dos corpos docente/discente impostos pela pandemia COVID-19 na cultura pantaneira.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2580

Palavras-chave:

Cultura Pantaneira, Disciplinamento, Pandemia

Resumo

No início do ano de 2020, a mudança nas relações sociais foi extrema e provocou um novo reordenamento não só das relações, mas de corpos e de uma série de sentimentos extremos, como medo, ansiedade, insegurança entre outros. Este estudo teve origem a partir desse contexto vivenciado no início do referido ano, com o surgimento da Pandemia da COVID -19 o que suscitou o desenvolvimento de uma pesquisa que visa investigar a marcação nos corpos dos sujeitos que circulam na educação superior na região do pantanal sul-matogrossense.  Objetivou-se para tanto discutir a luz das contribuições de teóricos dos Estudos Culturais, como esse processo de disciplinamento de corpos se dá, como respondem a o que foi imposto, a essa mudança que, de repente, trouxe mais períodos dentro de casa, longe da natureza.  Verificar como e se as relações com a família nos períodos de isolamento social promoveram alguma interferência no estímulo para permanecer desenvolvendo suas atividades profissionais e acadêmicas e identificar as dificuldades apresentadas pelos sujeitos participantes da pesquisa (discentes/docentes) no processo de ajustar o próprio corpo aos imperativos temporais do período vivenciado. Dessa forma a pesquisa pretendeu apresentar um recorte entre a relação saúde, educação e a disciplina que nos foi imposta pela pandemia na tentativa de promover um olhar sobre o que discentes e docentes do Ensino Superior da região do Pantanal sul mato-grossense, enfatizando os desafios da contemporaneidade no campo do lazer, esperam do que, como nos traz Boaventura (2020), ficou convencionado chamar de “novo normal”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janete Rosa da Fonseca, Universidade Federal do Mato Grosso

 Licenciada em Pedagogia. Mestre em Estudos Culturais na Educação. Doutora em Educação. Docente
do Programa de Pós-graduação em Estudos Culturais- PPGCult da Universidade Federal de Mato Grosso
do Sul/ Campus de Aquidauana. Líder do Grupo de Pesquisa em Estudos Decoloniais-GPED.

Priscila Rosa da Fonseca, Pós-graduada em Endocrinologia pela Faculdade IPEMED de Ciências Médicas – São Paulo.

Médica pela Universidade Federal de Pelotas-UFPEL. Pós-graduada em Endocrinologia pela Faculdade
IPEMED de Ciências Médicas – São Paulo.

David Arenas Carmona, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - UFMS

Professor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul/Campus de Aquidauana. https://orcid.org/0000-0002-6737-6235

Referências

BHABHA, Homi K. O local da Cultura. Belo Horizonte, Editora UFMG,1998.

COULON, Alain. Etnometodologia e Educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

BOCK, Ana Mercês Bahia. FURTADO, Odair. TEIXEIRA, Maria de Lourdes Trassi. Psicologias. Uma introdução ao estudo de Psicologia. São Paulo, Editora Saraiva, 2018.

FERRO, Olga Maria dos Reis et al. Aspectos da Cultura do Homem Rural Pantaneiro. In: FERRO, Olga Maria dos Reis. LOPES, Zaira de Andrade (Orgs). Educação e Cultura: Lições Históricas do Universo Pantaneiro. Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Editora da UFMS, 2013.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Nascimento da prisão. Petrópolis, Editora Vozes,2014.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo, Editora Atlas, 2008.

HALL, Stuart. A identidade Cultural na Pós-modernidade. Rio de Janeiro. DP&A,2011.

MARCONI, Marina de Andrade. PRESOTTO, Zelia Maria Neves. Antropologia: Uma Introdução. São Paulo, Editora Atlas, 2005.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, Vozes, 2001.

NOGUEIRA, Albana Xavier. A linguagem do homem pantaneiro. Tese de Doutorado. Assis, São Paulo. UNESP, 1989.

PINTO, Maria Leda. LACERDA, Léia Teixeira. A Pedagogia Pantaneira e o Discurso estético de Manoel de Barros e Abílio Leite de Barros na preservação ambiental: memórias e tradições culturais sul-mato-grossenses. In: FERRO, Olga Maria dos Reis. LOPES, Zaira de Andrade (Orgs). Educação e Cultura: Lições Históricas do Universo Pantaneiro. Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Editora da UFMS, 2013.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Cruel Pedagogia do Vírus. Coimbra. EDIÇÕES ALMEDINA, S.A., 2020.

SANTOS, Boaventura de Sousa. O fim do Império Cognitivo. A afirmação das Epistemologias do Sul. Belo Horizonte. Autêntica Editora, 2019.

https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6040.htm Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Acesso em maio de 2021.

https://www.gov.br/saude/pt-br/coronavirus/o-que-e-o-coronavirus Acesso em julho de 2021

https://www.paho.org/pt/covid19/historico-da-pandemia-covid-19 Acesso em julho de 2021.

https://bvsms.saude.gov.br/novo-coronavirus-covid-19-informacoes-basicas/ Acesso em julho de 2021.

Downloads

Publicado

2021-08-19

Como Citar

Fonseca, J. R. da ., Fonseca, P. R. da, & Carmona, D. A. (2021). Elasticidade do social: a relação saúde-educação e o disciplinamento dos corpos docente/discente impostos pela pandemia COVID-19 na cultura pantaneira. Revista Educar Mais, 5(5), 960-971. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2580

Edição

Seção

Artigos