Travessias e (des)encontros: práticas pedagógicas remotas na educação infantil em Rolim de Moura/RO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2122

Palavras-chave:

Educação Infantil; Práticas Pedagógicas; Pandemia; Tecnologias.

Resumo

Em 2020, devido a Pandemia do vírus COVID-19 vários setores foram atingidos e na Educação surgiram desafios emergentes às práticas de professoras. Neste artigo, o objetivo é compreender as práticas pedagógicas desenvolvidas em tempo de Pandemia, por professoras da Educação Infantil no município de Rolim de Moura/RO. Participaram da pesquisa 10 (dez) professoras que atuam em instituições distintas. Para produção de dados foram enviados dois questionários, um com perguntas abertas e fechadas e outro com roteiro. O artigo se apoia nas ideias de Leite (2011), Clareto e Nascimento (2012), Oliveira (2018), Borba e Penteado (2001), Gil (2002), entre outros. Refletimos sobre o currículo da Educação Infantil; as tecnologias no fazer e agir das professoras e crianças; efeitos da Pandemia, que no alinhavo dos relatos das professoras, possibilitou pensar em como é possível um currículo acontecimento no distanciamento entre os corpos? As aulas remotas vêm produzindo uma educação longe do movimento das crianças e das professoras.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juverlande Nogueira Pinto, Universidade Federal de Rondônia

Graduada em Pedagogia pela Faculdade Panamericana de Ji-Paraná (2013), Especialista em Ensino Lúdico, Especialista em Educação Infantil - práticas de sala de aula, Mestranda em Educação Matemática pela Universidade Federal de Rondônia. Atualmente atua como Coordenadora de Cultura Escolar na Secretaria Municipal de Educação de Ji-Paraná/RO, como Redatora/Formadora no Programa de Apoio à Implementação da Base Nacional Comum Curricular. Com experiência em Coordenação Pedagógica, Formação de Coordenadores Pedagógicos e Professores da Educação Infantil. Pesquisadora no grupo de pesquisa Cirandeiras - Grupo de Pesquisas e Estudos das Crianças, Folclore, Brincadeiras e Culturas Infantis, do(a) Universidade Federal de Rondônia.

Edre Almeida Corrêa, Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Mestranda Acadêmica em Educação Matemática no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Matemática - PPGEM/UNIR, Campus Ji-Paraná. Possui Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal de Rondônia - UNIR, Campus Ji-Paraná. Especialização em Educação Matemática pelo PPGEM/UNIR, Campus Ji-Paraná. Também cursa a Licenciatura em Letras-LIBRAS, no Centro Universitário Leonardo Da Vinci (UNIASSELVI), Polo Ji-Paraná/RO. Interesses: Educação Matemática; Operações Matemáticas; Recursos Didáticos; Surdez; Educação Especial; Educação Inclusiva; Artes Marciais. https://orcid.org/0000-0002-4935-3806

Bianca Santos Chisté, Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Iniciou sua atividade profissional como professora de crianças tanto na Educação Infantil, como, posteriormente nos dois primeiros anos do Ensino Fundamental. Afetada pelo encontro com as crianças formou-se em Pedagogia (2001), Especializou-se em Alfabetização (2004), prosseguindo seus estudos no mestrando em Ciências da Linguagem (2009) pela Universidade Federal de Rondônia. Doutorou-se em Educação Matemática pelo PGEM/UNESP/Rio Claro (2015), trazendo discussões sobre infância e educação matemática. Realizou estágio de pós-doutotramento no PGEM/UNESP/Rio Claro (2019). Atualmente é docente da Universidade Federal de Rondônia - Campus de Rolim de Moura. Integra os grupos de pesquisa IM@GO (UNESP/Rio Claro), GEPPEA (Rolim de Moura/UNIR) e Cronópi@s (UNESP/Rio Claro), estudando e pesquisando questões relacionadas aos seguintes temas: infância, educação, experiência, produção imagética e docência na infância. Pós-Doutoranda em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista - Rio Claro.

Vanderleia de Lourdes Rodrigues Lopes de Oliveira, Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Tocantins (2008), graduação em Normal Superior pela Universidade do Tocantins (2008) e graduação em Administração pela Universidade Norte do Paraná (2008). Pós graduação em Administração, Orientação e Gestão Escolar e Gestão Publica e Gestao de Pessoas. Atualmente Professora de Educação Infantil na EMEI Balão Mágico e mestranda em Ensino de Ciências da Natureza, na Universidade Federal de Rondonia - UNIR/ Campus de Rolim de Moura/RO. https://orcid.org/0000-0001-8935-6326

Referências

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da educação nacional. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf>. Acesso em: out. 2020.

__________. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em:<http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>. Acesso em: set. 2020.

_______. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

_______. PORTAL MEC. Diretrizes para escolas durante a Pandemia. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/busca-geral/12-noticias/acoes-programas-e-projetos-637152388/89051-cne-aprova-diretrizes-para-escolas-durante-a-Pandemia>. Acesso em: out. 2020.

_______. Lei Nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus responsável pelo surto de 2019. Brasília - DF, 2020.

______. Decreto Legislativo Nº 6, de 2020. Congresso Nacional. Reconhece, para os fins do art. 65 da Lei Complementar no 101, de 4 de maio de 2000, a ocorrência do estado de calamidade pública, nos termos da solicitação do Presidente da República encaminhada por meio da Mensagem no 93, de 18 de março de 2020. Publicado no Diário Oficial da União na: Edição: 55-C, Seção: 1 - Extra, página: 1, 20 de março de 2020.

______. Portaria MEC Nº 544, DE 16 DE JUNHO DE 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19, e revoga as Portarias MEC nº 343, de 17 de março de 2020, nº 345, de 19 de março de 2020, e nº 473, de 12 de maio de 2020. Publicado em: 17/06/2020, no Diário Oficial da União | Edição: 114 | Seção: 1 | Página: 62 Órgão: Ministério da Educação/Gabinete do Ministro. Disponível em:<https://abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Portaria-mec-544-2020-06-16.pdf>. Acesso em: nov. 2020.

BARROS, Manoel de. O livro das ignorãças. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2016.

BORBA, Marcelo de Carvalho; PENTEADO, Miriam Godoy. Informática e Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica 2001.

CLARETO, Sônia Maria; NASCIMENTO, Luiz Alberto Silvestre do. A sala de aula e a constituição de um currículo-invenção. Currículo sem Fronteiras, v. 12, n. 3, p. 306-321, Set/Dez 2012, ISSN 1645-1384 (online). Disponível em:< www.curriculosemfronteiras.org.>. Acesso em: out. 2020.

DELORS, Jacques et al. Learning: the creasure within. Paris: UNESCO, 1996.

GALLO, Sílvio. Educação Infantil: do dispositivo pedagógico ao “ir junto” com as crianças. In: Infância e pós-estruturalismo. Anete Abramowicz; Gabriela Tebet (Organizadoras). São Carlos: Pedro & João Editores, 2019.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. - São Paulo:Atlas, 2002.

______. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. - São Paulo: Atlas, 2008.

JACON, Liliane da Silva Coelho; OLIVEIRA; Ana Carolina Garcia de; MARTINES, Elizabeth Antonia Leonel de Moraes; MELLO, Irene Cristina de. Educação & tecnologia: reflexões sobre a incorporação de tecnologias móveis na educação. Revista REAMEC, Cuiabá - MT, n.01, setembro 2013, ISSN: Revista do Programa de Doutorado da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática. Disponível em: <http://www.ufmt.br/ufmt/unidade/index.php/secao/site/5394/ppgecem>. Acesso em: out. 2020.

LARROSA, Jorge Bondía. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Tradução de João Wanderley Geraldi. Revista Brasileira de Educação, nº19, 20 Jan/Fev/Mar/Abr 2002.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 21º ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. O currículo na Educação Infantil: o que propõem as novas diretrizes nacionais? ANAIS DO I SEMINÁRIO NACIONAL: CURRÍCULO EM MOVIMENTO – Perspectivas Atuais. Belo Horizonte, novembro de 2010.

______. Campos de experiências: efetivando direitos e aprendizagens na Educação Infantil / [Ministério da Educação]. – São Paulo: Fundação Santillana, 2018.

RIBEIRO, Ana Elisa. Termo: Tecnologia digital. In: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (UFMG). Faculdade de Educação (FaE). Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita (Ceale) Departamento de Linguagem e tecnologia. Glossário Ceale: termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. Belo Horizonte, 2014.

ROLIM DE MOURA. Referencial Curricular Municipal da Educação Infantil. Secretaria Municipal de Educação e Cultura, 2019.

RONDÔNIA. Decreto Nº 24.871, de 16 de março de 2020. Decreta situação de emergência no âmbito da Saúde Pública do Estado e dispõe sobre medidas temporárias de prevenção ao contágio e enfrentamento da propagação decorrente do novo coronavírus, COVID-19, do regime de trabalho do servidor público e contratado do Poder Executivo, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado de Rondônia n. 49, publicado em: 16 de março de 2020.

______. Decreto Nº 24.979, de 26 de abril de 2020. Dispõe sobre o Estado de Calamidade Pública, regulamenta quarentena e restrição de serviços e atividades em todo o território do Estado de Rondônia e revoga o Decreto Nº 24.919, de 5 de abril de 2020. Casa Civil, 26 de abril de 2020.

______. Decreto Nº 25.263, de 30 de julho de 2020. Altera e acresce dispositivos do Decreto Nº 25.049, de 14 de maio de 2020. Art. 1° O parágrafo único do inciso II do art. 3°, o caput do art. 4°, o § 3° do art. 11 e a alínea “p” do Anexo II do Decreto n. 25.049, de 14 de maio de 2020. Institui o Sistema de Distanciamento Social Controlado para fins de prevenção e de enfrentamento à epidemia causada pelo novo Coronavírus - COVID-19, no âmbito do Estado de Rondônia, reitera a declaração de Estado de Calamidade Pública em todo o território estadual e revoga o Decreto Nº 24.979, de 26 de abril de 2020. Casa Civil, 31 de julho de 2020.

______. Decreto Nº 25.348, de 31 de agosto de 2020. Altera, acresce e revoga dispositivos do Decreto Nº 25.049, de 14 de maio de 2020. “Institui o Sistema de Distanciamento Social Controlado para fins de prevenção e de enfrentamento à epidemia causada pelo novo Coronavírus - COVID-19, no âmbito do Estado de Rondônia, reitera a declaração de Estado de Calamidade Pública em todo o território estadual e revoga o Decreto Nº 24.979, de 26 de abril de 2020, suspendendo as atividades educacionais presenciais regulares na rede estadual, municipal e privada ficam suspensas até o dia 3 de novembro do ano corrente, aplicando-se em todos os municípios. Casa Civil, 31 de agosto de 2020.

Downloads

Publicado

2021-01-06

Como Citar

Nogueira Pinto, J., Almeida Corrêa, E. ., Santos Chisté, B. ., & de Oliveira, V. de L. R. L. (2021). Travessias e (des)encontros: práticas pedagógicas remotas na educação infantil em Rolim de Moura/RO. Revista Educar Mais, 5(1), 45-64. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2122