Desigualdades sociais e escolares: perspectivas de ingresso no Ensino Superior por estudantes da EJA

Autores

  • Tatiane Kelly Pinto de Carvalho Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)
  • Paulo Roberto de Souza Anastácio Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG -Unidade Divinópolis)
  • Maraísa Inês de Assis Martins Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Hugo Henrique Silva Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG -Unidade Divinópolis)

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.4.2020.1878

Palavras-chave:

EJA, Ensino Superior, Trajetórias Escolares, Divinópolis (MG).

Resumo

Neste artigo são apresentados os resultados de uma pesquisa realizada na cidade de Divinópolis (MG), que teve por objetivo analisar as perspectivas de ingresso dos estudantes da EJA no ensino superior. Por meio de uma abordagem qualitativa, o desenho metodológico considerou a aplicação de um questionário a 142 (cento e quarenta e dois) sujeitos que estavam concluindo esta modalidade de ensino em 2019, com o intuito de levantar aspectos relacionados às trajetórias escolares, perfil socioeconômico dos estudantes e expectativas sobre o acesso ao ensino superior. Os dados revelaram que uma maioria considerável dos alunos tem interesse em dar continuidade aos estudos, porém possuem capital informacional e cultural insuficientes a respeito dos trâmites para a inserção na educação superior. Com isso, fica evidente no estudo que as desigualdades de acesso ao capital cultural derivam da desigualdade social, próprias das sociedades de classes, bem como é pertinente que estes estudantes, sem oportunidade de acesso ou permanência no ensino básico regular, sejam encorajados e instruídos à longevidade escolar.

Biografia do Autor

Tatiane Kelly Pinto de Carvalho, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Doutoranda em Educação no Programa de Pós Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Mestre em Educação (UEMG). Licenciada em História (UFMG). Professora da UEMG–Unidade Divinópolis. Atualmente é integrante do Grupo de Pesquisa NESFE/UFOP - Núcleo de Estudos Sociedade, Família e Escola.

Paulo Roberto de Souza Anastácio, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG -Unidade Divinópolis)

Graduado em Pedagogia pela Fundação Educacional de Divinópolis: Claúdio-MG, concluída em 2013. E, possui também, graduação em História- Licenciatura pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG -Unidade Divinópolis), essa concluída no ano de 2019.

Maraísa Inês de Assis Martins, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Graduanda em História (Licenciatura) pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ao longo da formação, tem realizado projetos de pesquisa e extensão na área de Educação.

Hugo Henrique Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG -Unidade Divinópolis)

Graduando em História (Licenciatura) pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG-Unidade Divinópolis). Ao longo da formação, tem realizado projetos de pesquisa na área de Educação.

Referências

ALMEIDA, Adriana CORSO, Ângela. A Educação de Jovens e Adultos: Aspectos históricos e sociais. [online] PUC-PR, 2015. Disponível em:https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/22753_10167.pdf. Acesso em: 17 de maio 2020.

ARROYO, Miguel. A educação de jovens e adultos em tempos de exclusão. Alfabetização e Cidadania, São Paulo, n. 11, p. 1-96, abr. 2001.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp, 2008.

BOURDIEU, Pierre. A escola conservadora:as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (Org.). Escritos de Educação: Pierre Bourdieu. Petrópolis: Vozes, 2010a. p. 39-64.

BOURDIEU, Pierre. As contradições da herança. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (Org.). Escritos de educação: Pierre Bourdieu. Petrópolis: Vozes, 2010b. p. 229-238.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. [online] Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ ldbn1.pdf. Acesso em: 09 mar. 2020.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB – Lei nº 9394/1996, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996. [online] Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ ldbn1.pdf. Acesso em: 09 mar. 2020.

CAMARGO, Janira. A mulher nos documentos da Educação de Jovens e Adultos e Adultas. Revista Ártemis, João Pessoa, v. 14, p. 155- 163, ago./dez. 2012.

DANTAS, Marcos. A lógica do capital-informação: a fragmentação dos monopólios e a monopolização dos fragmentos num mundo de comunicações globais. 2. ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2002. 198 p.

DI PIERRO, Maria Clara; JOIA, Orlando; RIBEIRO, Vera Masagão. Visões da educação de jovens e adultos no Brasil. [online] Cad. CEDES. 2001, vol. 21, n. 55, p. 58-77. ISSN 0101-3262. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622001000300005. Acesso em: 16 de abr. 2020.

GIL, António Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. São Paulo: Editora Atlas S.A., 2008.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. 10ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2007.

IBGE. Estudo revela 60 anos de transformações sociais no país. [online] In.: Agência IBGE Notícias. Brasília, 2007. Disponível em:https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/13300-asi-estudo-revela-60-anos-de-transformacoes-sociais-no-pais. Acesso em 10 abr. 2020.

LAHIRE, Bernard. Entrevista com Bernard Lahire. TAKEUTI, Norma Missae. Cronos, Natal-RN, v. 10, n. 2, p. 165-177, jul./dez. 2009. 173 p.

LAHIRE, Bernard. Homem Plural: os determinantes da ação. Petrópolis: Vozes, 2002.

LAHIRE, Bernard. Retratos Sociológicos: disposições e variações individuais. Porto Alegre: Artemed, 2004.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1985.

MACHADO, Ana Maria Nogueira. Pesquisa escolar:uma questão para resolver.Dissertação (Mestrado em Biblioteconomia) – Faculdade de Biblioteconomia - PUCCAMP, Campinas: 1989.

MACHADO, Maria Margarida. A educação de jovens e adultos: Após 20 vinte anos da Lei nº 9.394, de 1996. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 10, n. 19, p. 429-451, jul./dez. 2016. [online] Disponível em: http//www.esforce.org.br. Acesso 15 de abr. 2020.

NOGUEIRA, Cláudio Marques Martins; NOGUEIRA, Maria Alice. A sociologia da educação de Pierre Bourdieu: Limites e contribuições. In: Revista Educação e Sociedade, vol. 3, nº 78, Campinas, 2002.

NOGUEIRA, Cláudio Marques Martins. O processo de escolha dos estudos superiores: desafios para a investigação sociológica. In: VIEIRA, Maria Manuel; RESENDE, José; NOGUEIRA, Maria Alice; DAYRELL, Juarez; MARTINS, Alexandre; CALHA, António (Org.). Habitar a escola e as suas margens - Geografias Plurais em Confronto. 1ºed. Portalegre, Portugal: Instituto Politécnico de Portalegre - Escola Superior de Educação, 2013, p. 73-84.

OLIVEIRA, Maria Marly de. Como fazer pesquisa qualitativa. 2ºed. Rio de janeiro: Vozes, 2005.

SAMPAIO, Sônia Maria Rocha. Entre a escola pública e a universidade: longa travessia para jovens de origem popular. In: Observatório da vida estudantil: primeiros estudos [online]. Salvador: EDUFBA, 2011, p. 27-51

SANTOS, Leide Rodrigues dos. Mobral: a representação ideológica do regime militar nas entrelinhas da alfabetização de adultos. Revista Crítica Histórica, Ano V, nº 10, p.304-317, dez. 2014.

SUASSUNA, Fernanda. Estudo revela que pandemia afeta mais a saúde mental das mulheres. [online]. Vida e Estilo, abril de 2020. Disponível em: https://www.metropoles.com/vida-e-estilo/comportamento/estudo-revela-que-pandemia-afeta-mais-a-saude-mental-das-mulheres. Acesso em 24 de jun. de 2020.

TRIVINÕS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VIANA, Maria José Braga. Em que consiste a excelência escolar dos meios populares? O caso de universitários da UFMG que passaram pelo programa Bom Aluno de Belo Horizonte. In: PIOTTO, Débora Cristina (Org.) Camadas populares e universidades públicas: trajetórias e experiências escolares. São Carlos: Pedro & João Editores, 2014.

ZAGO, Nadir. Do acesso à permanência no ensino superior: percursos de estudantes universitários de camadas populares. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 32, p. 226-237, maio/ago. 2006.

Downloads

Publicado

2020-09-15

Como Citar

Carvalho, T. K. P. de, Anastácio, P. R. de S., Martins, M. I. de A., & Silva, H. H. (2020). Desigualdades sociais e escolares: perspectivas de ingresso no Ensino Superior por estudantes da EJA. Revista Educar Mais, 4(3), 591-605. https://doi.org/10.15536/reducarmais.4.2020.1878

Edição

Seção

Artigos