Sinais de bem-estar docente em práticas de professores de educação básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2626

Palavras-chave:

Bem-estar, Professor, Práticas, Educação básica

Resumo

Este artigo objetiva identificar professores na condição de bem-estar docente na escola básica a fim de descrever elementos de suas práticas que caracterizam o bem-estar na docência.  Bem-estar docente diz respeito a uma avaliação pessoal positiva da vida e da docência, com base em critérios cognitivos e afetivos. Desenvolvemos um estudo de abordagem qualitativa, delineado como estudo de campo com quatro professores de educação básica pública da cidade do Recife-PE. Por meio da observação participante, caracterizamos as práticas desses professores. Constatamos que os professores investigados vivenciam o bem-estar docente, pois, apesar das adversidades enfrentadas nas escolas públicas, reconhecem o valor social da profissão, cultivam relações saudáveis com seus alunos e pares e desejam prosseguir no exercício do magistério. Entendemos que para manter estes profissionais na condição de bem-estar docente, medidas de intervenção devem ser tomadas por parte dos órgãos gestores da educação. Tais medidas estão relacionadas à carreira, formação continuada e melhoria das condições de trabalho nas escolas. Essas ações fortalecem as práticas e posturas dos profissionais investigados e podem vir a incentivar outros professores a terem um olhar mais positivo para a profissão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laeda Bezerra Machado, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (1991), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco UFPE (1997) e doutorado em educação pela Universidade Federal do rio Grande do Norte - UFRN - (2003). É  Professora Associado IV do Centro de Educação da UFPE, vinculada ao Departamento de Administração Escolar e Planejamento Educacional. Atua como docente no curso de Pedagogia e demais licenciaturas. Professora Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação do Centro de Educação (CE). Líder do Grupo de pesquisa Educação e Representações sociais. A docente é pesquisadora e bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq, desde 2012. Está vinculada como pesquisadora ao Centro Internacional de Estudos em Representações Sociais e Subjetividade Educação da Fundação Carlos Chagas CIERS-ed, Fundação Carlos Chagas-FCC. Integra o conselho editorial dos periódicos: Caderno CEDES e Revista Práxis Educativa (UEPG) e Administração Educacional (UFPE).

Camila Afonso Ferreira de Araújo, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Mestranda em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Tem investigado os campos relativos à formação de professores e prática pedagógica, bem-estar docente e a Teoria das representações Sociais.

Referências

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

ESTEVE, J. M. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. Bauru: EDUSC. 1999.

JESUS, S. N. A motivação para a profissão docente: Contributo para a clarificação de situações de mal-estar e para a fundamentação de estratégias de formação de professores. Aveiro: Estante Editora, 1996.

______. Bem-estar dos professores: Estratégias para realização e desenvolvimento profissional. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1998.

______. Motivação e formação de professores. Coimbra: Quarteto Editora, 2000.

______. Perspectivas para o bem-estar docente. Porto: ASA Editores II, 2002.

______. La motivación de los profesores. Revisión de la literatura. In: GARCÍA-VILLAMISAR, D.; FREIXAS, T. (Ed.). El estrés del profesorado. Valência: Promolibro, 2003. p. 116-139.

______. Professor sem stress: realização profissional e bem-estar docente. Porto Alegre: Mediação, 2007.

JESUS, S. N. de; REZENDE, M. Saúde e bem-estar. In: CRUZ, J. P.; JESUS, S. N. de; NUNES, C. (Coord.). Bem-estar e qualidade de vida: contributos da Psicologia da Saúde. Alcochete: Textiverso, 2009.

LUDKE, A.; ANDRÉ, M. A pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 1986.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13. ed. São Paulo: Editora Hucitec, 2013.

PASCHOAL, T.; TORRES, C. V.; PORTO, J. B. Felicidade no trabalho: relações com suporte organizacional e siporte social. Rev. Adm. Contemp., v. 14, n. 6, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-65552010000700005&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 07 nov. 2019.

RAUSCH, R. B.; DUBIELLA, E. Fatores que promoveram mal ou bem-estar ao longo da profissão docente na opinião de professores em fase final de carreira. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 13, n. 40, p. 1041-1061, set./dez. 2013. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional-/article/download/3001/2926. Acesso em: 26 ago. 2019.

RODRIGUES, L. S. Do mal-estar ao bem-estar docente: uma análise de caso Argentina e Brasil. 2011. 117 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

SILVA, M. P.; NEVES, I. P. Compreender a (in)disciplina na sala de aula: uma análise das relações de controle e de poder. Rev. Port. de Educação, v. 19, n. 1, p. 5-41, 2006. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?-script=sci_arttext&pid=S0871-91872006000100002. Acesso em: 26 ago. 2019.

SIQUEIRA, M. M. M.; PADOVAM, V. A. R. Bases teóricas de bem-estar subjetivo, bem-estar psicológico e bem-estar no trabalho. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 24, p. 201-209, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010237722008000200010&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 14 dez. 2019.

TIMM, J. W.; STOBÄUS, C.; MOSQUERA, J. J. M. Psicologia Positiva e bem-estar docente: Estado de Conhecimento (CAPES, 2011-2012). Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 228-239, jul/dez. 2014. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/download/17805/12404. Acesso em: 20 jan. 2020.

TRALDI, M. T. F.; DEMO, G. Comprometimento, bem-estar e satisfação dos professores de Administração de uma Universidade Federal. REAd, Porto Alegre, v. 72, n. 2. mai.ago. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141323112012000200001&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 02 ago. 2019.

ZACHARIAS, J. Bem-estar docente: um estudo em escolas públicas de Porto Alegre. 2012. 153 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do RS, 2012.

Downloads

Publicado

2021-11-11

Como Citar

Machado, L. B., & Afonso Ferreira de Araújo, C. . (2021). Sinais de bem-estar docente em práticas de professores de educação básica. Revista Educar Mais, 5(5), 1363-1375. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2626

Edição

Seção

Artigos