A falta de inserção do Parque Estadual do Espinilho enquanto espaço de formação ambiental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.6.2022.2608

Palavras-chave:

Parque Estadual do Espinilho, Diversidade Vegetal, Ensino, Potencialidades

Resumo

Este projeto objetivou analisar a visão dos educandos do ensino fundamental (ciclo final) sobre o Parque Estadual do Espinilho (PEE) com o intuito de se desenvolver uma proposta de aproximação dos educandos e da comunidade escolar com o PEE através da promoção da Educação Ambiental. O trabalho foi desenvolvido no ano de 2018, em parceria com a Escola Estadual de Ensino Médio Nilza Corrêa Pereira (Barra do Quaraí-RS), com estudantes de duas turmas do ensino fundamental II, uma turma do 6º ano (ano inicial deste ciclo), com 14 educandos e de uma turma do 9º ano (ano final do ciclo) com 17 educandos, através da aplicação e análise de um questionário com quatro questões abertas. Como resultados pode-se inferir que os educandos desconhecem a área do PEE, que o conceito de seres vivos presentes no parque são retratados na forma de animais, porém de animais exóticos, pertencentes a outros biomas. Como considerações finais observa-se que o PEE não é utilizado enquanto espaço de ensino pela escola, sendo que o desenvolvimento de projetos que envolvam esta unidade de conservação, como instrumento para a promoção da Educação Ambiental e reflexão sobre as questões regionais, a partir da biodiversidade vegetal e animal faz-se necessário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Allyson Henrique Souza Feiffer, Universidade Federal do Pampa - Unipampa

Graduado em Licenciatura em Ciências da Natureza (2018) pela Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA, especialista em Avaliação de Impactos Ambientais e Processos de Licenciamento Ambiental pelo SENAC/SP (2019) e em Educação Ambiental pela UNIPAMPA (2020). Atualmente é professor de Ciências da Natureza e Matemática em cursos de preparatório para o ENEM e vestibulares. Idealizador do projeto Grupo Focal - Aulas Particulares e Acompanhamento Escolar, o qual ministra aulas voltadas para as componentes de Ciências da Natureza e Matemática. Desenvolve pesquisas junto à UNIPAMPA na Unidade de Conservação Parque Estadual do Espinilho, voltadas para a coleta, classificação e divulgação de espécimes das plantas herbácea do Parque do Espinilho, como forma de mostrar uma parcela da biodiversidade do bioma Pampa.

Fernando Icaro Jorge Cunha, Universidade Federal do Pampa - Unipampa

Professor formato em magistério em nível médio (Curso Normal) no CIEP 179 Professor Claudio Gama - RJ. Discente de graduação no Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza na Universidade Federal do Pampa - Campus Uruguaiana. Atua desenvolvendo projetos de Ensino e Extensão, cursos de formação continuada para profissionais da Educação Básica, bem como, iniciação científica na área da Bioquímica Toxicológica. Atualmente é bolsista CAPES, PRAEC, PDA e bolsista do programa Santander Graduação, através da seleção de graduandos com excelência em rendimento acadêmico no edital nº 273/2020.

Leonardo Barboza Benites, Universidade Federal do Pampa - Unipampa

Licenciando do Curso de Ciências da Natureza pela Universidade Federal do Pampa - Campus Uruguaiana. Integrante do Clube de Astronomia do Campus de Uruguaiana. Tem experiência na área de Astronomia, mais especificamente o ensino de Astronomia, atividades de planetárista, montagem de telescópios e lunetas e observação do céu. Formação de ensino fundamentada na pedagogia freiana e adapto da utilização de metodologias ativas e do ensino de ciências através da Astronomia.

Ailton Jesus Dinardi, Universidade Federal do Pampa - Unipampa

Possui graduação em Ciências Habilitação em Biologia pela Universidade do Sagrado Coração (1992), Especialização em Educação Ambiental pela Unesp de Botucatu/SP, Mestrado em Educação para Ciências pela Unesp de Bauru/SP e Doutorado em Ciência Florestal pela UNESP, campus de Botucatu/SP. Desde agosto de 2014 é Professor Adjunto da Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA, Campus de Uruguaiana-RS e Docente Permanente do PPG Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde. Coordena o Curso de Especialização em Educação Ambiental (Lato sensu) e o Curso de Ciências da Natureza (Gestão 2019-2020). Atua como pesquisador do COMCIÊNCIA, grupo de pesquisa em Ambiente, Educação, Ciênciometria e Ensino de Ciências. Compõe o Banco de Avaliadores do INEP - Basis.

Referências

BILENCA, D. N.; MIÑARRO, F. Identificación de Áreas Valiosas de Pastizal (AVPs) en las Pampas y Campos de Argentina, Uruguay y sur de Brasil. Buenos Aires: Fundación Vida Silvestre, 2004.

BOLDRINI, I. I.; FERREIRA, P. M. A.; ANDRADE, B. O.; SCHNEIDER, A. A.; SETUBAL, R. B.; TREVISAN, R.; FREITAS, E. M. Bioma Pampa: diversidade florística e fisionômica. Porto Alegre: Pallotti, 2010.

BOLDRINI, I. I.; POSER, G. L. V.; ZUANAZZI, J. A. S. Pampa. Biodiversidade e Produtos Naturais, 2010. Disponível em: http://inct-bionat.iq.unesp.br/biomas/bioma-pampa/. Acesso em: 12 dez. 2021.

BRASIL. Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 jul. 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9985.htm. Acesso em: 28 ago. 2018.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Biodiversidade Brasileira. Disponível em http://www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-brasileira. Acesso em: 22 jul. 2020.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Pampa. Brasília, DF, 2010. Disponível em: https://antigo.mma.gov.br/biomas/pampa.html. Acesso em: 12 dez. 2021.

BRASIL. Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2004. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv4730.pdf. Acesso em: 20 set. 2020.

BRUSCA, R. C.; BRUSCA, G. J. Zoologia de Invertebrados. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

CAMINHA, A. F. Ministério do Meio Ambiente. A Biodiversidade pouco conhecida do Pampa. Brasília, DF, 18 de outubro de 2010. Disponível em: https://www.gov.br/mma/pt-br/noticias/a-biodiversidade-pouco-conhecida-do-pampa. Acesso em: 22 jul. 2020.

CASTRO, L. R. B. O Bioma Pampa como temática de investigação no ensino básico no município de Uruguaiana-RS. 2018. 180 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2017. Disponível em: http://pgeec.ufsm.br/images/producoes/2016/dissertacoes/2017/2018/DISSERTACAO_LRBC.pdf. Acesso em: 16 jul. 2018.

CERATI, T. M.; LAZARINI, R. A. M. A Pesquisa-ação em Educação Ambiental: Uma Experiência no Entorno de uma Unidade de Conservação Urbana. Ciência e Educação, v. 15, n. 2, p. 383-92, 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-73132009000200009. Acesso em: 28 out. 2020.

CORRÊA, A. M. Investigando, prevenindo e tratando a cegueira botânica em diferentes cenários do estado do Rio de Janeiro. 2020. 262 f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Ensino em Biociências e Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Rio de Janeiro. Biblioteca Depositária: Biblioteca de Ciências Biomédicas, 2020. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/47389. Acesso em: 16 nov. 2020.

CORREA, M. L. Origem do Descaso com o Bioma Pampa. 2008. 134 f. Monografia. (Especialização) – Especialização em Educação Ambiental, Centro Universitário La Salle, Canoas/RS. 2008.

DINARDI, A. J.; FEIFFER, A. H. S.; FELIPPELLI, H. E. O Uso de Praças Públicas como Espaço não formal de Educação. Educação, Cultura e Sociedade, v. 8, n. 1, p. 311-326, 2018. Disponível em: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/educacao/article/view/3053. Acesso em: 28 out. 2020.

FONSECA, M; LAMAS I.; KASECKER T. O Papel das unidades de conservação. Scientific American Brasil, v. 39, p. 18-23, 2010. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/260513394_O_Papel_das_Unidades_de_Conservacao. Acesso em: 06 nov. 2020.

GALVANI, F. R.; BAPTISTA, L. R. de M. Flora do Parque Estadual do Espinilho – Barra do Quaraí/RS. Revista da FZVA, Uruguaiana, v.10, n.1, p.42-62, 2003.

HEIDEN, G.; IGANCI, J. R. Sobre a paisagem e a flora In: Elisabeth Regina Tempel Stumpf, Rosa Lia Barbieri e Gustavo Heiden (Org.). Cores e formas no Bioma Pampa plantas ornamentais nativas. Brasília: Embrapa, 2016.

KUPLICH, T. M.; CAPOANA, V.; COSTA, L. F. F. O Avanço da Soja no Bioma Pampa. Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul, n. 31, p. 83-100, 2018. Disponível em: https://revistas.planejamento.rs.gov.br/index.php/boletim-geografico-rs/article/view/4102. Acesso em: 17 jul. 2020.

MACEDO, M.; URSI, S. Botânica na escola: uma proposta para o ensino de histologia vegetal. Revista da SBEnBio, v. 9, p. 2723-2733, 2016. Disponível em: http://botanicaonline.com.br/geral/arquivos/macedo%20e%20Ursi%202016.pdf. Acesso em: 06 out. 2020.

MACHADO, M.; MENEZES, M. O. T.; SANTOS, M. R.; PRIETO, P. V.; HERING, R. L. O.; BARROS, F. S. M.; BORGES, R. A. X.; KUTSCHENKO, D. C.; VALENTE, A. S. M. Cactaceae. In: MARTINELLI, G.; MORAES, M. A. Livro vermelho da flora do Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2013.

MANDIÃO, A. G. Campos e areais no sudoeste do RS subsídios para a criação de Unidades de Conservação. 2012. 112 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012. Disponível em:https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/67652/000873484.pdf?sequence=1&isAllowed=y . Acesso em: 28 out. 2020.

MARCHIORI, J. N. C.; ALVES, F. S.; DEBLE, L. P.; DEBLE, A. S. O. A vegetação do Parque Estadual Do Espinilho: Origem do nome e considerações Fitogeográficas. Balduinia, n. 44, p. 01-16, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/balduinia/article/view/14000. Acesso em: 05. jul. 2020.

MARTINS, S. F. A.; GARCIA, C. L. O Desenho no Ensino Fundamental. In: Secretaria da Educação do Paraná-PR. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do Professor PDE. Paraná-PR: Cadernos PDE, 2014.

MEDEIROS, A. B.; MENDONÇA, Maria José da Silva Lemes; SOUSA, Gláucia Lourenço de; OLIVEIRA, Itamar Pereira de. A Importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos, v. 4, n. 1, p. 1-17, 2011. Disponível em: http://revista.fmb.edu.br/index.php/fmb/article/view/30. Acesso em: 18 out. 2020.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis-RJ: Vozes. 2010.

MOREIRA, M. A. Metodologias de Pesquisa em Ensino. São Paulo: Livraria da Física, 2011.

MOTA, J. C.; COUSIN, C. S.; KITZMANN, D. I. S. A Educação Ambiental Estética e as Relações de Pertencimento no Processo de Ambientalização Curricular. Revista Pedagógica, v. 20, n. 45, p. 207-226, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.22196/rp.v20i45.3986. Acesso em: 28 out. 2020.

PILLAR, A. D. Desenho e escrita como sistemas de representação. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

RICKLEFS, R. A Economia da Natureza. Tradução de Pedro Paulo de Lima e Silva. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto n° 41.440, de 28 de fevereiro de 2002. Amplia o Parque Estadual do Espinilho, e dá outras providências. Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2002. Disponível em: https://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Decretos/2002/dec_rs_41440_2002_uc_parqueespinilho_rs.pdf. Acesso em: 12 dez. 2021.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto nº 53.037, de 20 de maio de 2016. Institui e regulamenta o Sistema Estadual de Unidades de Conservação - SEUC. Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2016. Disponível em: http://www.al.rs.gov.br/filerepository/repLegis/arquivos/DEC%2053.037.pdf. Acesso em: 20 out. 2020.

RIO GRANDE DO SUL. Lei nº 15.434, de 9 de janeiro de 2020. Institui o Código Estadual do Meio Ambiente do Estado do Rio Grande do Sul. Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2020. Disponível em: http://www.al.rs.gov.br/legis/M010/M0100099.ASP?Hid_Tipo=TEXTO&Hid_TodasNormas=65984&hTexto=&Hid_IDNorma=65984. Acesso em: 06 nov. 2020.

SAUVÉ, L. Uma cartografia das correntes em Educação Ambiental. In: SATO, M.; CARVALHO, I. C. M. (Orgs.). Educação Ambiental - pesquisas e desafios. Porto Alegre: Artmed, 2005.

SOUZA, D. V. DINARDI, A. J. PEREIRA, K. B. Bioma Pampa: Compreensões prévias de alunos do Ensino Fundamental de duas escolas com diferente perfil socioambiental de Alegrete-RS. Revista Educação, Cultura e Sociedade, v. 10, n. 3, p. 440-455, 2020. Disponível em: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/educacao/article/view/3957. Acesso em: 29 out. 2020.

VYGOTSKY, L. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos superiores. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

Downloads

Publicado

2022-01-03

Como Citar

Feiffer, A. H. S., Cunha, F. I. J., Benites, L. B. ., & Dinardi, A. J. (2022). A falta de inserção do Parque Estadual do Espinilho enquanto espaço de formação ambiental. Revista Educar Mais, 6, 46-58. https://doi.org/10.15536/reducarmais.6.2022.2608

Edição

Seção

Artigos