Verificação de usabilidade em software educativo: uma avaliação prospectiva em objetos de aprendizagem sobre genética

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2511

Palavras-chave:

Objetos de Aprendizagem, Avaliação de Usabilidade, Ensino Médio, Genética

Resumo

Uma tendência é que a sala de aula se torne um ambiente cada vez mais dinâmico e interativo, fatores que podem motivar de forma abrangente os alunos e isso pode ser alcançado, por meio da aplicação de Objetos de Aprendizagem (OAs) digitais. Nesse sentido, o presente trabalho visou avaliar por prospecção, a usabilidade de dois OAs disponíveis no repositório NOAS (Núcleo de Desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem Significativa), com temática vinculada a genética. Para isso, foi utilizado um questionário já consolidado chamado ErgoList, essa ferramenta é baseada nos critérios ergonômicos de Scapin e Bastien (1993) e foi desenvolvido pelo LabiUtil (laboratório de Utilizabilidade da Informática da Universidade Federal de Santa Catarina) (CYBIS, 1997; CYBIS et al., 2000; CYBIS et al., 2010), o qual foi aplicado a professores experientes e graduados em Ciências Biológicas. Os resultados demonstraram que alguns critérios de usabilidade não atenderam às expectativas dos docentes, porém isso não seria um empecilho na eficiência/eficácia da utilização dos OAs. De acordo com os professores, estes recursos seriam utilizados em suas aulas devido sobretudo a forma como o conteúdo de genética é abordado, que pode ser motivador aos alunos. Sendo assim, os OAs selecionados para esse estudo podem ser considerados recursos facilitadores do processo de ensino e aprendizagem de genética no Ensino Médio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Faria de Souza, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - IFRS

Doutoranda no PPGIE (Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre em Informática pelo PPGI (Programa de Pós-Graduação em Informática) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), na área de Computação Aplicada, e ênfase em Engenharia de Software. Possuo especialização em Educação Especial Inclusiva, com ênfase em Tecnologia Assistiva. Sou graduada em Sistemas de Informação pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (2011). Completei a Licenciatura em Matemática, pela UTFPR. Atualmente sou docente dedicação exclusiva no Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Campus Ibirubá/RS. http://lattes.cnpq.br/0052710619133749

Gisele Patricia Scapini, Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Maria (2003), mestrado em Engenharia Florestal pela mesma universidade (2006) e especialização em Ensino, Linguagens e suas tecnologias (2019). Atualmente atua como professora nas redes estadual, municipal e particular do município de Ibirubá/RS.

Mayara Faria de Souza, Prefeitura Municipal de Bandeirantes - Paraná

Mestranda pela Universidade Federal do Paraná UTFPR, no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Humanas, Sociais e da Natureza. Especialização pela Universidade Paulista, em Educação Especial. Também especialista pela Universidade Estadual do Norte do Paraná UENP, em Geografia e Desenvolvimento Regional: Natureza, Sociedade e Ensino de Geografia. Segunda Graduação pela Universidade Metropolitana de Santos, em Licenciatura em Filosofia. Primeira Graduação pela Universidade Estadual do Norte do Paraná UENP, em Licenciatura Plena em Geografia. Membro ativo do grupo de Pesquisa: Observatório de Políticas Públicas, sob a orientação do Prof. Doutor: David da Silva Pereira. Professora da Educação Infantil, do quadro de servidores do Município de Bandeirantes/PR. http://lattes.cnpq.br/5349739707425281

Referências

ADOLFO, M., MACHADO D., WARPECHOWSKI, M. Ensino e Aprendizagem de Biologia no Ensino Médio através da Informática. Educativa VI Congresso Brasileiro de Informática na Educação (CBIE 2017), Anais do XXIII Workshop de Informática na Escola (WIE 2017), 2017.

ARELLANO, M. A. M. Repositórios digitais DSpace. 2008. Disponível em: <http://dspace.ibict.br/dmdocuments/RepositoriosInstitucionaisDSpace.pdf>. Acesso em: 06 maio 2021.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 9241: Ergonomia da interação humano-sistema. Parte 151: Orientações para interfaces de usuários da World Wide Websistemas interativos. Rio de Janeiro: ABNT, 2011.

BARNI, G. S. A importância e o sentido de estudar genética para estudantes do terceiro ano do ensino médio em uma escola da rede estadual de ensino em Gaspar (SC). Dissertação de mestrado. Programa de Mestrado Profissional em Ciências Naturais e Matemática, da Universidade Regional de Blumenau. Blumenau 2010. 184f. Disponível em: <http://www.uniedu.sed.sc.gov.br/wp-content/uploads/2013/10/Graziela-dos-Santos-Barni.pdf>. Acesso em: 28 abr. 2021.

BONZANINI, T. K.; BASTOS, F. Temas da Genética contemporânea e o Ensino de Ciências: que materiais são produzidos pelas pesquisas e que materiais os professores utilizam? In: VIII ENPEC I CIEC, Campinas/SP 2011. Disponível em: <http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0389-2.pdf.> Acesso em: 21 abr. 2021.

CARVALHO, A. A. A. Como olhar criticamente o software educativo multimídia. São Paulo: Abril, Editora, p. 200 - 215, 2005.

CYBIS, W. de A. Ergonomia de Software Educacional, Laboratório de Utilizabilidade da Informática. Dissertação (Mestrado Sistemas de Informação) Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina, 2000.

CYBIS, W.; BETIOL, A. H.; FAUST, R. Ergonomia e usabilidade: conhecimentos, métodos e aplicações. 2.ed. São Paulo: Novatec, 2010.

DAGNINO, R. P.; DIAS, R. A política de C&T brasileira: três alternativas de explicação e orientação. Revista Brasileira de Inovação, Rio de Janeiro, v.6, n.2, p. 373-403, 2007.

GUEDES, F. D.; CASTRO FILHO, J. A. A seleção de objetos educacionais digitais por professores. Simpósio brasileiro de informática na educação SBIE. 2010. Disponível em: <http://www.br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/1491/1256>. Acesso em: 03 ago. 2021.

JUSTINA, L. A. D. Ensino de Genética e história de conceitos relativos à hereditariedade. Dissertação (Mestrado em Biologia) Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Florianópolis, 2001.

LABORATÓRIO DE UTILIZABILIDADE DA INFORMÁTICA – LABIUTIL. Disponível em: <http://www.labiutil.inf.ufsc.br/>. Acesso em: 05 maio 2021.

MAGUIRE, M.; et al. A comparison of three materials used for tactile symbols to communicate colour to children and young people with visual impairments. British Journal of Visual Impairment, v. 34, n.1, p. 54-71, 2016.

MORAN, J. M; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 1. ed. Campinas: Papirus, 2006. Disponível em: <https://www.academia.edu/10222269/Moran_Masetto_e_Behrens__NOVAS_TECNOLOGIAS_E_MEDIA%C3%87AO_PEDAGOGICA>. Acesso em: 20 abr. 2021.

MORELLATO, V. et. al. Softwares Educacionais e a Educação Especial: Refletindo sobre Aspectos Pedagógicos. Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 4, n. 1, p.1-10, 2006.

MOURA J. et al. Biologia/Genética: O ensino de biologia, com enfoque a genética, das escolas públicas no Brasil – breve relato e reflexão. Ciências Biológicas e da Saúde, v. 34, n. 2, p. 167-174, 2013.

NIELSEN, J. Usability Engineering. Moragan Kaufmann. 1. Ed. San Francisco: Morgam Kaufimann, Elsevier, 200 p. 1993.

NIELSEN, J.; LORANGER, H. Usabilidade na Web. 1. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 432 p, 2007.

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA – NOAS. Disponível em: <http://www.noas.com.br/>. Acesso em: 12 abr. 2021.

OLIVEIRA, C. MOURA, S. P. SOUSA, E. R. TIC’s na educação: a utilização das tecnologias da informação e comunicação na aprendizagem do aluno. Pedagogia em Ação, v. 7 n. 1, 2015.

ROCHA, da S. L. Estratégias metodológicas para ensinar genética no ensino médio. Monografia (Especialização em Biologia). Medianeira, 2013.

SALOMON, D. V. Como fazer uma monografia. 11. ed. São Paulo: Martins Fontes; 2004.

SANTOS, G. L (organizador) Tecnologias na Educação e Formação de Professores. Publicação Coletiva dos Professores Pesquisadores da área de Tecnologias na Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília. Brasília: Plano, 2003.

SILVA, N. L. R, FERNANDES, E. P.B. e SOBREIRA, M. A genética no ensino médio: analisando uma visão discente. In: V CONEDU. Olinda/PE, v. 1, 2018. Disponível em: <http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/anais.php>. Acesso em: 28 abr. 2021.

SOUZA, de M. Dificuldades de alunos do ensino médio na aprendizagem de genética. UFPR. Foz do Iguaçu, 2015. Disponível em: <https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/42247/R%20-%20E%20-%20MARINEZ%20DE%20SOUZA.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 03 ago. 2021.

SOUZA, M. G. O uso da internet como ferramenta pedagógica para os professores do ensino fundamental. Monografia (Graduação em Licenciatura Plena em Informática) – Universidade Aberta do Brasil, Universidade Estadual do Ceará, Centro de Ciências e Tecnologia, Curso de Licenciatura Plena em Informática, Tauá/CE. 2013.

TAROUCO, L. M. R. et al. Objetos de Aprendizagem. Teoria e Prática - CINTED/UFRGS. Porto Alegre: Evangraf, 2014.

TAVARES N. R, B. História da informática educacional no Brasil observada a partir de três projetos públicos. São Paulo: Escola do Futuro, 2002.

VALENTE, J. A. E ALMEIDA, F. J. Visão analítica da informática na educação no Brasil: A questão da formação do professor. Revista Brasileira de Informática na Educação, v. 1, n. 1, p. 1-28, 1997.

WILEY, D. A. Connecting learning objects to instrucional design theory: A definition, a metaphor, and a taxonomy. The instrucional use of learning objects, 2002. Disponível em: <http://wesrac.usc.edu/wired/bldg-7_file/wiley.pdf/wiley.pdf> Acesso em: 08 ago. 2021.

Downloads

Publicado

2021-09-18

Como Citar

Faria de Souza, V., Scapini, G. P., & Faria de Souza, M. . (2021). Verificação de usabilidade em software educativo: uma avaliação prospectiva em objetos de aprendizagem sobre genética. Revista Educar Mais, 5(5), 1203-1218. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2511

Edição

Seção

Artigos