Mulheres e os novos livros de projetos integradores em Ciências da Natureza

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2471

Palavras-chave:

Ensino de Ciências da Natureza, Livros didáticos, Mulheres na Ciência.

Resumo

Ao longo da História mulheres foram impedidas de participar da Educação formal, cenário que tem se alterado nas últimas décadas. Hoje na maior parte do mundo todos têm direito ao ensino. Resolvido isso, busca-se o reconhecimento, já que a contribuição de mulheres ainda é pouco reconhecida. Autoras como Rosa e Silva (2015) e Bianchi (2020) mostraram que tal apagamento se reflete no livro didático. O presente trabalho teve como objetivo investigar a representatividade feminina nos livros de projetos integradores em Ciências da Natureza do novo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) de 2021. Numa abordagem qualitativa-quantitativa, analisou-se a equidade de gênero em cinco parâmetros: representação nas imagens, número de autoras, referências, citações e equipe técnica. O resultado foi positivo para imagens, autoria e equipe técnica. Além disso, verificou-se que o protagonismo feminino no ativismo social/ambiental era exaltado.  Entretanto, contradições persistem, dada a desproporcionalidade de referências e citações de mulheres quando a produção acadêmica já atingiu a equidade. Assim, mostramos que há avanços, mas que a discussão deve seguir até que alcancemos a equidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaynara Beatriz Selasco de Matos, Instituto Federal do Mato Grosso do Sul - IFMS

Formanda do curso Técnico Integrado em Informática do Instituto Federal do Mato Grosso do Sul, câmpus Corumbá. É monitora do projeto de extensão "Ciência na Fronteira: Expandindo os Limites do Conhecimento" cujo objetivo é difundir o conhecimento de tópicos de pesquisa de ponta das Ciências numa linguagem acessível a estudantes dos ensinos fundamental e médio.

Ana Cecilia Soja, Instituto Federal do Mato Grosso do Sul - IFMS

Professora de Física do Instituto Federal do IFMS, câmpus Corumbá. Formada em Física pela Universidade de São Paulo e Mestre e Doutora em Ciências pela mesma instituição, atua com pesquisa nas áreas de Astrofísica e Ensino de Ciências e coordena projetos de extensão que têm como objetivo popularizar a Ciência.

Referências

BELMIRO, Celia Abicalil. A imagem e suas formas de visualidade nos livros didáticos de Português. Educação & sociedade, v. 21, n. 72, p. 11-31, 2000.

BIANCHI, Madge. et al. Representações de gênero: como as mulheres cientistas e suas contribuições são representadas nos livros didáticos de Física, Química e Biologia. In: Anais SECITEC 2019 – Semana da Ciência e Tecnologia, v.4, n.1, 2019, Luzerna, SC.

BIANCHI, Madge. Representatividade das mulheres na ciência: visibilidade através do livro didático de física. In: XVIII Encontro de Pesquisa em Ensino de Física - 2020, 2020, Luzerna, SC.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf>. Acesso em: 12 mai. 2021.

DIEDRICH, Bruna. “Falar em filósofas é falar em revolução”: representação feminina no ensino de Filosofia. Monografia (Graduação) - UFRGS, Porto Alegre - RS: 2018.

DINIZ, Cristiane. Desigualdades e reconhecimentos: memórias de uma escrita feminina e afro-brasileira. Dissertação (Mestrado) - UNIMONTES, Montes Claros - MG: 2014.

FAPESP, Em busca de equilíbrio. Revista Fapesp, edição 254. São Paulo, 2017.

IBGE, Estatísticas de Gênero. Brasília, 2010. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/apps/snig/v1/?loc=0&cat=-1,1,2,-2,-27,112,113,114,128&ind=4741>. Acesso em: 12 de mai. 2021.

LIMA, Betina Stefanello. Teto de vidro ou labirinto de cristal? As margens femininas das ciências. Dissertação (Mestrado) - Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

MAGALHÃES, W. DE A. M.; PEREIRA, A. L. S. O uso da aprendizagem baseada em problemas no ensino técnico: projetos integradores como experiência interdisciplinar. Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico (EDUCITEC), v. 5, 12, 2019.

ONU MULHERES. Princípios de empoderamento das mulheres. 2017. Disponível em: <https://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2016/04/cartilha_ONU_Mulheres_Nov2017_digital.pdf>. Acesso em: 12 de mai. 2021.

PRODANOV, Cleber Cristiano; DE FREITAS, Ernani Cesar. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2ª Edição. Editora Feevale, 2013.

MEC, Guia Digital do PNLD, Brasília, 2021. Disponível em <https://pnld.nees.ufal.br/assets-pnld/guias/Guia_pnld_2021_proj_int_vida_Apresentacao.pdf>. Acesso em 10 de abr. 2021

ROSA, Katemari; DA SILVA, Maria Ruthe Gomes. Feminismos e Ensino de Ciências: análise de imagens de livros didáticos de Física. Revista Gênero, v. 16, n. 1, 2015.

SIQUEIRA, Gisele. “E onde estavam as mulheres?” a presença das mulheres nos livros didáticos de História do ensino médio (2015 – 2017). Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em História) - Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes, Curso de História, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2019.

TOKARNIA, Mariana. Mulheres assinam 72% dos artigos científicos publicados pelo Brasil. Agência Brasil. Brasília, 2019.

Downloads

Publicado

2021-10-16

Como Citar

Selasco de Matos, T. B. ., & Soja, A. C. (2021). Mulheres e os novos livros de projetos integradores em Ciências da Natureza. Revista Educar Mais, 5(5), 1287-1298. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2471

Edição

Seção

Artigos