A tecnologia como possibilidade de inovação na Educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2391

Palavras-chave:

Inovação, Educação escolar, Tecnologias, Metodologias ativas

Resumo

As tecnologias digitais são ferramentas que apontam para a qualificação de processos educativos na educação básica, podendo, inclusive, permitir inovação nesse nível de ensino. Desse modo, o presente trabalho de intervenção pedagógica ocorreu com o objetivo de trabalhar com os docentes a motivação e a mudança de visão em relação à importância do uso das metodologias ativas no processo educativo, por meio do uso das tecnologias, despertando-lhes para a busca do conhecimento e da atualização profissional. Para atender esse intuito, desenvolveu-se um trabalho baseado nas propostas de metodologias ativas, de forma remota, por meio do Google Meet, na qual se realizou quatro horas de oficina, dividida em dois momentos de duas horas cada, com um grupo de 13 professores atuantes em escola de ensino fundamental de um município do interior de Santa Catarina (SC). Nesses momentos utilizou-se ferramentas de forma que os docentes pudessem participar ativamente de todas as etapas da formação. Como resultados, compreendeu-se que a utilização de tecnologias na sala de aula ainda é vista como empecilho por vários docentes que participaram da intervenção. No entanto, observou-se que esses aumentaram a percepção da importância da introdução de metodologias diversificadas, aliadas à utilização de meios tecnológicos, para aprimorar o fazer pedagógico da realidade do aluno e qualificá-lo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Noeli Burile, Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC

Acadêmica do curso de Especialização em Inovação na Educação pela UNOESC/Joaçaba.

Cleide Teresinha de Moraes Veruck, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Acadêmica do curso de Especialização em Inovação na Educação pela UNOESC/Joaçaba.

Adriano Canabarro Teixeira, Universidade de Passo Fundo

Doutor em Informática na Educação, Docente do curso de Especialização em Inovação na Educação pela UNOESC/Joaçaba e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo (UPF).

Referências

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

BAUMAN, Z. Entrevista sobre a educação. Desafios pedagógicos e modernidade

Líquida. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 39, n. 137, maio/ago. 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742009000200016. Acesso em: 23 jan. 2021.

BERBEL, N. A. N. A metodologia da problematização com o Arco de Maguerez: uma reflexão teórico-epistemológica. Londrina: EdUEL, 2012.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 24 set. 2020.

CARBONELL, J. A aventura de inovar: a mudança na escola. Tradução Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2002.

COLL, C. Psicologia e currículo: uma aproximação psicopedagógica à elaboração do currículo escolar. São Paulo: Ática, 2000.

CORDÃO, F. A. Síntese da resolução CNE/CEB 1, de 3 de abril de 2002. In: BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Síntese das diretrizes curriculares nacionais para a educação básica. 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=32621-cne-sintese-das-diretrizes-curriculares-da-educacao-basica-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 12 dez. 2020.

FORSTER, M. M. dos S.; FAGUNDES, M. C. V. Inovações educativas na sala de aula universitária: ruptura paradigmática/resistência ao ethos regulatório? In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 29., 2006, Caxambu/MG. Anais [...]. Caxambu/MG: Anped, 2006. Disponível em: http://29reuniao.anped.org.br/trabalhos/trabalho/GT11-1885--Int.pdf. Acesso em: 23 set. 2020.

GARCIA, F. W. A importância do uso das tecnologias no processo de ensino-aprendizagem. Educação a Distância, Batatais, v. 3, n. 1, p. 25-48, jan./dez. 2013. Disponível em: https://intranet.redeclaretiano.edu.br/download?caminho=upload/cms/revista/sumarios/177.pdf&arquivo=sumario2.pdf. Acesso em: 24 set. 2020.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

MARTINS, T. M. de O.; NERY FILHO, J.; SANTOS, F. V. dos; PONTES, E. C. A gamificação de conteúdos escolares: uma experiência a partir da diversidade cultural brasileira. In: SEMINÁRIO JOGOS ELETRÔNICOS, EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO, 10., abr. 2014, Salvador. Anais [...]. Salvador: UNEB, 2014. Disponível em: https://www.academia.edu/15944675/pdf. Acesso em: 23 set. 2020.

MORAN, J. M. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. 5. ed. Campinas: Papirus, 2014.

MORAN, J. M. Metodologias ativas e modelos híbridos na educação. In: YAEGASHI, S. et al. (org.). Novas tecnologias digitais: reflexões sobre mediação, aprendizagem e desenvolvimento. Curitiba: CRV, 2017. p. 23-35. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2018/03/Metodologias_Ativas.pdf. Acesso em: 27 out. 2020.

NÓVOA, A. Inovação para o sucesso educativo escolar. Porto Alegre: Escola

Superior de Educação, 1988.

OLIVEIRA, I.; COURELA, C. Mudança e inovação em educação: o compromisso dos professores. Revista Interacções, v. 9, n. 27, p. 97-117, 2013. Disponível em: https://revistas.rcaap.pt/interaccoes/article/view/3404. Acesso em: 12 dez. 2020.

POZO, J. I.; ALDAMA, C. de. A mudança nas formas de ensinar e aprender

na era digital. Átio Ensino Médio, ano 5, n. 19, fev. 2014. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/319405610. Acesso em: 19 mar. 2021.

SAMPAIO, M. N.; LEITE, L. S. Alfabetização tecnológica do professor. Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

SANTA CATARINA. Decreto n. 562, de 17 de abril de 2020. Declara estado de calamidade pública em todo o território catarinense, nos termos do COBRADE n° 1.5.1.1.0 - doenças infecciosas virais, para fins de enfrentamento à COVID-19, e estabelece outras providências. Disponível em: https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=393952. Acesso em: 12 dez. 2020.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Educação. Política de educação especial. Florianópolis: SED, 2018.

SANTOS, G. C. Kahoot!: um gameshow em sala de aula. 2016. Disponível em: http://www.giseldacosta.com/wordpress/kahoot-um-gameshow-em-sala-de-aula/.

Acesso em: 23 set. 2020.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9. ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

TEDESCO, J. C. Educação e novas tecnologias: esperança ou incerteza? São Paulo: Cortez, 2004.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 2011.

TOLOMEI, B. V. A gamificação como estratégia de engajamento e motivação

na educação. Revista Científica de Educação a Distância, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 145-156, 2017. Disponível em: http://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/440/259. Acesso em: 23 set. 2020.

VIEGAS, A. Como o uso da tecnologia é previsto pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC)? Plataforma Educacional, 23 abr. 2019. Disponível em: https://www.somospar.com.br/como-o-uso-da-tecnologia-e-previsto-pela-base-nacional-comum-curricular-bncc. Acesso em: 23 set. 2020.

Downloads

Publicado

2021-08-24

Como Citar

Burile, N., de Moraes Veruck, C. T., & Canabarro Teixeira, A. . (2021). A tecnologia como possibilidade de inovação na Educação. Revista Educar Mais, 5(5), 1083-1101. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2391

Edição

Seção

Artigos