Da ação à emancipação: o uso do ambiente virtual de aprendizagem do GeoGebra no contexto da educação popular

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2240

Palavras-chave:

Ambiente Virtual de Aprendizagem, Educação Popular, Tecnologias Digitais, Aprendizagem

Resumo

O presente artigo versa sobre uma pesquisa de característica qualitativa realizada no ano de 2019 com uma turma do pré-vestibular popular Dandara dos Palmares, sediado no Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) em Porto Alegre. A produção dos dados ocorreu na forma da aplicação de uma proposta didática presencial no laboratório de informática da instituição, aonde os participantes exploraram atividades sobre funções afins e funções quadráticas fazendo uso de um Ambiente Virtual de Aprendizagem e também fizeram o preenchimento de dois questionários. Utilizamos como fundamentação teórica estudos e autores que apresentam as ideias da Educação Popular e sobre o uso das tecnologias digitais em sala de aula na perspectiva da formação de professores. A análise mostrada no presente artigo centra-se nos dados apresentados nos questionários, os quais demonstram por parte dos participantes da pesquisa uma valorização do uso das tecnologias no percurso de aprendizagem. Entende-se assim, que ao fazer uso das tecnologias em atividades didático-pedagógicas na Educação Popular os estudantes tornam-se os principais agentes no processo de aprendizagem.

Biografia do Autor

Rodrigo Sychocki da Silva, UFRGS

Licenciado em Matemática (2007), mestre em Ensino de Matemática (2012) e doutor em Informática na Educação (2015) pela UFRGS. Atualmente é professor Adjunto do DMPA (Departamento de Matemática Pura e Aplicada) do Instituto de Matemática Pura e Aplicada da UFRGS. Foi professor efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Caxias do Sul de agosto (2011) até julho (2016). As áreas de interesse e pesquisa são: tecnologia informática no ensino de matemática, contribuições das teorias cognitivas para a aprendizagem da matemática, modelagem matemática com uso da tecnologia informática.

Thor Franzen, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática

Licenciado em Matemática pela UFRGS (2019). Atualmente é mestrando no programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática na UFRGS, modalidade acadêmico.

Referências

ALENCAR, Anderson Fernandes. A tecnologia na obra de Álvaro Vieira Pinto e Paulo Freire. Software Livre, Cultura Hacker e Ecossistema da Colaboração. Vicente Macedo de Aguiar (org), 2009, p. 151-187. São Paulo: Momento Editorial. 2009.

BICUDO, Maria Aparecida Viggiani. Pesquisa qualitativa e pesquisa qualitativa segundo a abordagem fenomenológica. Pesquisa qualitativa em educação matemática. Organização Marcelo de Carvalho Borba e Jussara de Loiola Araújo. 5ª ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, p. 111-124. 2013.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues de Oliveira. O que é Educação Popular. São Paulo: Brasiliense. 2006.

BRASIL, Ministério da Educação. Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Bases Legais, Brasília, DF, MEC. 1999.

BRASIL, Ministério da Educação. Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN+). Ciências da Natureza e Matemática e suas tecnologias. Brasília, DF, MEC. 2002.

BRASIL, Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Ciências da Natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília, DF, MEC. 2006.

BRASIL, Ministério da educação. Base nacional comum curricular. Brasília, DF: MEC. 2018.

CARVALHO, Liliana Teresa Neto. Ambiente Virtual de Aprendizagem Matemática em contexto educativo. Dissertação de Mestrado, Instituto de Educação. Universidade de Lisboa, Portugal. 2013.

DOTTA, Silvia. Uso de uma Mídia Social como Ambiente Virtual de Aprendizagem. XXII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação – XVII WIE. Aracaju, Al, Brasil. 2011.

FANTIN, Mônica; GIRARDELLO, Gilka. Diante do abismo digital: mídia-educação e mediações culturais. Perspectiva, Florianópolis, v. 27, n. 1, 69-96, jan/jul. 2009.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. Tradução de Claudia Schilling. Buenos Aires: Tierra Nueva. 1975.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1992.

FREIRE, Paulo. A Educação na Cidade. 5ª ed. São Paulo: Cortez. 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários para a prática educativa. 44ª ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra. 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 7ª ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra. 2019.

MADRUGA, Zulma Elizabete de Freitas. Recursos tecnológicos como apoio no ensino presencial e a distância da disciplina de matemática. II Seminário Diálogos em Educação a Distância. Pelotas, RS, Brasil. 2017.

MASON, Robin. Using communications media in open and flexible learning. London: Kogan Page. 1994.

MASSENSINI, Rogério Luís. Inclusão digital: sob a ótima da cidadania plena. Data Grama Zero, Revista da ciência e informação, v.12 n.2. 2011.

NAFTALIEV, Elena, YERUSHALMY, Michal. Interactive diagrams: alternative practices for the design of álgebra inquiry. Center for educational technology and university of Haifa, Israel. 2009.

PEREIRA, Dulcinéia de Fátima Ferreira, PEREIRA, Eduardo Tadeu. Revisitando a história da educação popular no Brasil: em busca de um outro mundo possível. Revista HISTEDBR on-line, Campinas, n.40, p.72-89, 2010.

PETRIA, Vânia Fuchter. O desafio da educação na cultura digital. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal de Santa Catarina, Taió, SC, Brasil. 2016.

PINI, Francisca Rodrigues de Oliveira. Educação popular e seus diferentes espaços: Educação social de rua, prisional e do campo. IV congresso internacional de pedagogia, São Paulo, SP, Brasil. 2012.

PINI, Francisca Rodrigues de Oliveira, e Adriano, Ana Lívia. Educação, participação política e direitos humanos. Educação em direitos humanos: abordagens teórico-metodológicas e ético-políticas. São Paulo, Editora e livraria Paulo Freire, p. 15-29. 2011.

SILVA, Rodrigo Sychocki da; PINTO, Shéridan dos Reis. Funções quadráticas e tecnologias móveis: ações cooperativas em um experimento no Ensino Médio. Góndola, Enseñanza y aprendizaje de las Ciencias, 14(1), p. 108-125. 2019.

SWAN, Karen. Relationships Between Interactions and Learning in Online Environments. Kent State University: The Sloan Consortium. 2004.

Downloads

Publicado

2021-01-13

Como Citar

Silva, R. S. da, & Franzen, T. (2021). Da ação à emancipação: o uso do ambiente virtual de aprendizagem do GeoGebra no contexto da educação popular . Revista Educar Mais, 5(2), 294-303. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2240

Edição

Seção

Artigos