Construção de estratégias de ensino com professores de Química: relatos de uma formação continuada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2103

Palavras-chave:

formação de professores, estratégias de ensino, ciências e química, ensino fundamental e médio

Resumo

Este trabalho consiste em uma análise das experiências vivenciadas ao longo de um Curso para Formação Continuada de Professores da área de Ciências da Natureza em uma Universidade Comunitária do Rio Grande do Sul. Com duração de sete encontros, o curso contou com cinco docentes de Ciências e Química do Ensino Fundamental e Médio, e abordou diferentes estratégias de ensino e formação pedagógica. A pesquisa apresenta caráter qualitativo, com características de estudo de caso. A coleta dos dados deu-se por meio de questionário, gravações das discussões dos encontros em áudio e trabalhos produzidos pelos participantes. As estratégias de ensino e as dificuldades vivenciadas por alunos e professores foram debatidas durante todos os encontros. Além disso, foi lançada a proposta de os professores desenvolverem um plano de unidade didática a partir das estratégias debatidas na formação. Como resultado, evidenciou-se um predomínio de metodologias ativas, visto que os professores instigaram os alunos para a criação de mapas conceituais, experiências com pilha de limão e elaboração de tabela periódica. Entre outros aspectos, tais estratégias privilegiam a autonomia dos alunos.

Biografia do Autor

Jonathan Giovanella Laste, Universidade do Vale do Taquari

Graduado em licenciatura em História pela Univates.

Miriam Ines Marchi, Universidade do Vale do Taquari

Possui graduação em Química Industrial pela Universidade de Santa Cruz do Sul (1994), mestrado em Química pela Universidade Federal de Santa Maria (1998) e doutorado em Química pela Universidade Federal de Santa Maria (2003). Atualmente é professora titular da Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES. Atua, principalmente, nas seguintes linhas de pesquisa: Tecnologias, metodologias e recursos didáticos para o ensino e Formação de Professores e Práticas Pedagógicas no Ensino. http://orcid.org/0000-0003-2546-7072

Patrick Alves Vizzotto, Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES

Doutor em Educação em Ciências pela UFRGS (2019). Mestre em Educação em Ciências pela FURG (2017). Graduado em Física Licenciatura pela UPF (2014). Atualmente realiza estágio de Pós-doutorado (PNPD/CAPES) no Programa de Pós-graduação em Ensino da UNIVATES, pesquisando a temática da Alfabetização Científica. Participa dos Grupos de Pesquisa Processos de Ensino e Aprendizagem em Ciências - UNIVATES e Inovações no Ensino de Ciências - FURG. É revisor de periódicos nacionais na área do Ensino. Tem experiência na área de Ensino de Física, com ênfase em mensuração da Alfabetização Científica, Física aplicada ao trânsito e retenção dos conhecimentos de Física em egressos do Ensino Médio.

Eniz Conceição Oliveira, Universidade do Vale do Taquari

Possui graduação em Química - Licenciatura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1987), especialização em Ensino de Química, pela UFRGS (1990), mestrado em Química pela UFRGS (1999) e doutorado em Química pela mesma Universidade (2004). Realizou pós-doutorado no Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro (UA) em Portugal. É professora titular da Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES. Tem experiência na área de Ensino de Química, atuando principalmente nas seguintes linhas de pesquisa: Ciência, Sociedade e Ensino; Recursos, Tecnologias e Ferramentas no Ensino; Formação de Professores e Práticas Pedagógicas no Ensino de Ciências Exatas. Atualmente é professora permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGEnsino) e Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas (PPGECE). http://orcid.org/0000-0003-0252-2243

José Cláudio Del Pino, Universidade do Vale do Taquari

Possui graduação em LICENCIATURA EM QUÍMICA pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1975), graduação em QUÍMICA INDUSTRIAL pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1975), especialização em QUÌMICA pela Universidade de Passo fundo (1978), especialização em ENSINO DE QUÍMICA pela Universidade de Caxias do Sul (1988), mestrado em Mestrado em Ciências Biológicas-Bioquímica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1984), doutorado em Engenharia de Biomassa pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1994) e pós-doutorado pela Universidade de Aveiro-Portugal (2004). Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor-Orientador do PPG Educação em Ciência Química da Vida e Saúde e do PPG Química ambos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Bolsa de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Tem experiência acadêmica na área de Educação, com ênfase em Educação Química, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, ensino de química, material didático, currículo de química e informática educativa.

Referências

ANASTASIOU, Léa; ALVES, Leonir. Estratégias de ensinagem. In: ____. (Orgs.). Processos de ensinagem na universidade. Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 3. ed. Joinville: Univille, p. 67-100, 2012.

BASTOS, Celso. Metodologias ativas. 2006. Disponível em: http://educacaoemedicina.blogspot.com/2006/02/metodologias-ativas.html. Acesso em 17/09/2019.

BERBEL, Neusi. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, v. 32, n. 1, p. 25-40, 2011. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/10326. Acesso em 13/11/2019

CACHAPUZ, António; PRAIA, João; GIL-PÉREZ, Daniel; CARRASCO, Jaime; MARTINEZ TERRADES, Isabel. A emergência da didáctica das ciências como campo específico de conhecimento. Revista Portuguesa de Educação, v. 14, n. 1, 2001. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/374/37414108.pdf. Acesso em 13/11/2019

DELIZOICOV, Demétrio; ANGOTTI, José. Metodologia do ensino de ciências. São Paulo: Cortez, 1990.

EICHLER, Marcelo; BARBOSA, Valdeli; AUTOR A. Atividades integradas na produção de material instrucional em química. Extensão, v. 1, n. 1. 1998. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/89951/000230755.pdf?sequence=1. Acesso em 13/11/2019

EICHLER, Marcelo; AUTOR A. A produção de material didático como estratégia de formação permanente de professores de ciências. Revista Eletrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 9, n. 3, 2010.

FALSARELLA, Ana. Formação continuada e prática de sala de aula. Autores Associados, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 18. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FRISON, Marli; AUTOR A; CERETTA, Jaqueline. Algumas questões ambientais permeando a construção de propostas de inovação curricular para o ensino de Química. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 23, 2009. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/4570. Acesso em 13/11/2019

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria. Análise textual discursiva. Ijuí: Editora Unijuí, 2011.

LIMA FILHO, Francisco; DA CUNHA, Francisca; CARVALHO, Flávio; SOARES, Maria. A importância do uso de recursos didáticos alternativos no ensino de química: uma abordagem sobre novas tecnologias. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, v. 7, n. 12, 2011. Disponível em: http://www.conhecer.org.br/enciclop/conbras1/a%20importancia.pdf. Acesso em 13/11/2019.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 2012.

MASETTO, Marcos. Competência Pedagógica do Professor Universitário. São Paulo: Summus, 2003.

MALDANER, Otávio. A formação inicial e continuada de professores de Química. Ijuí: Ed. Unijuí, 2000.

MOREIRA, Marco. O mapa conceitual como instrumento de avaliação da aprendizagem. Educação e Seleção, n. 10, p. 17-34, 2013. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/edusel/article/viewFile/2568/2521. Acesso em 13/11/2019.

NETO, Joaquim; DE JESUS, Girlene; KARINO, Camila; DE ANDRADE, Dalton. Uma escala para medir a infraestrutura escolar. Estudos em Avaliação Educacional, v. 24, n. 54, p. 78-99, 2013. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/eae/article/view/1903. Acesso em 13/11/2019.

NÓVOA, António. Formação de Professores e Profissão Docente. 1996. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/4758/1/FPPD_A_Novoa.pdf. Acesso em: 04/09/2019.

STRACK, Ricardo; MARQUES, Magdalena; AUTOR A. Por um outro percurso da construção do saber em educação química. Química Nova na Escola, v. 31, n. 1, p. 18-22, 2009. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc37_especial_2/06-EA-111-15.pdf. Acesso em 13/11/2019.

TALANQUER, Vicente. Commonsense chemistry: A model for understanding students' alternative conceptions. Journal of Chemical Education, v. 83, n. 5, p. 811, 2006. Disponível em: https://pubs.acs.org/doi/abs/10.1021/ed083p811. Acesso em 13/11/2019.

TARDIF, Maurice. A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a frente, três para trás. Educação & Sociedade, v. 34, n. 123, p. 551-571, 2013. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/873/87328002015.pdf. Acesso em 13/11/2019.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2018.

UEHARA, Fabia. Refletindo dificuldades de aprendizagem em alunos do ensino médio no estudo do equilíbrio químico. 2005. 100 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16122. Acesso em 13/11/2019.

YIN, Robert. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

Downloads

Publicado

2021-01-08

Como Citar

Laste, J. G., Marchi, M. I., Vizzotto, P. A., Oliveira, E. C., & Del Pino, J. C. (2021). Construção de estratégias de ensino com professores de Química: relatos de uma formação continuada. Revista Educar Mais, 5(2), 217-231. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2103

Edição

Seção

Artigos