O imaginário eurocentrado e o racismo institucional: a exclusão de negros/as, indígenas e quilombolas na pós-graduação de instituições públicas no país.

Autores

  • Cláudio Baptista Carle PPGAnt – DAA – ICH – UFPel GPCIE - CNPq

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.3.2019.15-26.1382

Palavras-chave:

Racismo institucional, Exclusão, Diversidade.

Resumo

O texto que se apresenta é fruto de anos de dedicação aos estudos das comunidades indígenas, negras e quilombolas nas instituições do país. Um contexto histórico as coloca em um estágio diverso das outras pessoas no processo de entrada e permanência no ensino superior. Mas é forte fator de exclusão do pós-graduação no país por inúmeras razões. Razões essas que apresento aqui parcialmente a partir de alguns estudos que realizei durante minha atuação em comissões e coordenação que visa a sua integração ao universo da pós-graduação. O texto não indica as instituições e nem os cursos em que estes processos acontecem, mas ao ser lido muitos reconhecerão seus espaços. Principalmente os/as estudantes que sofreram o racismo institucional. É um texto introdutório, mas importante para esse momento histórico que vivemos no Brasil onde os direitos dessas populações são fortemente ameaçados.

Biografia do Autor

Cláudio Baptista Carle, PPGAnt – DAA – ICH – UFPel GPCIE - CNPq

 

Cláudio Baptista Carle

Professor Doutor em História-Arqueologia

PPGAnt – DAA – ICH – UFPel

GPCIE - CNPq

Downloads

Publicado

2019-05-24

Como Citar

Carle, C. B. (2019). O imaginário eurocentrado e o racismo institucional: a exclusão de negros/as, indígenas e quilombolas na pós-graduação de instituições públicas no país. Revista Educar Mais, 3(1), 15-26. https://doi.org/10.15536/reducarmais.3.2019.15-26.1382

Edição

Seção

Artigos