Utilitarismo repaginado: uma faceta do neoliberalismo contemporâneo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2270

Palavras-chave:

Ensino Médio, Utilitarismo, Neoliberalismo

Resumo

O artigo apresenta resultados de uma investigação que teve por objetivo identificar sentidos que alunos do Ensino Médio (EM) atribuem à relevância do utilitarismo do conhecimento escolar. As bases teóricas advêm dos estudos de Michel Foucault e seus comentadores, como Sibilia, Ball e Dardot e Laval. A parte empírica foi realizada em uma escola pública da região metropolitana de Porto Alegre (RS), no ano letivo de 2017. O material escrutinado é composto por questionários respondidos pelos discentes que frequentavam a última etapa da educação básica sobre suas concepções a respeito da escola e do EM na atualidade. A análise mostrou que a escola ainda pode ser pensada enquanto uma maquinaria capaz de produzir alunos para uma determinada função social, voltada para o mercado de trabalho. Ao mesmo tempo, tem sido capturada pela perspectiva mercadológica, incitando os estudantes a agirem de modo a tornarem-se empresários de si mesmos, realizando investimentos a partir de cálculos de interesses que lhes garantam um lugar de destaque no cenário competitivo.

Biografia do Autor

Fernanda Wanderer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (UFRGS). Doutora em Educação (UNISINOS), Mestre em Educação (UNISINOS) e licenciada em Matemática (UFRGS).

Gicele Weinheimer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Licenciada em Filosofia (UFRGS) e mestre em Educação (UFRGS). Integra a Linha de Pesquisa Estudos Culturais em Educação da UFRGS.

Referências

BALL, Stephen. Educação Global S. A: novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Ponta Grossa: UEPG, 2014.

BENTHAM, Jeremy. Uma introdução aos princípios da moral e da legislação. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2020.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica / Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2018.

CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault – Um percurso pelos temas, conceitos e autores. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

DARDOT, Pierre.; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo. São Paulo: Boitempo, 2016.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

FOUCAULT, Michel. Vigar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009a.

KANT, Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes. Edições 70, 2007.

LARROSA, Jorge; RECHIA, Karen. P de Professor. São Carlos: Pedro & João Editores, 2018.

LENOIR, Yves. O utilitarismo de assalto às ciências da educação. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 61, p. 159-167, jul./set. 2016.

MASSCHELEIN, Jean; SIMONS, Maarten. Em defesa da escola: uma questão pública. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

ORDINE, Nuccio. A utilidade do inútil: um manifesto. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos e estratégias analíticas. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves (Org.). Metodologias Pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2014, p.25-47.

PEIXOTO, Paulo. Ética e regulação da pesquisa nas Ciências Sociais na sociedade do consentimento. Educação, Porto Alegre, v. 40, n. 2, p. 150-159, maio-ago. 2017.

REALE, Giovani; ANTISERI, Dario. História da Filosofia: do romantismo ao empiriocritismo. São Paulo: Paulus, 2007.

SIBILIA, Paula. Redes ou paredes: a escola em tempos de dispersão. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

SILVA, Roberto Rafael Dias; SILVA, Denilson; VASQUES, Rosane. Políticas curriculares e financeirização da vida: elementos para uma agenda investigativa. Revista de Estudos Curriculares, v. 9, nº 1, 2018, p.37-52.

SILVA, Tomaz Tadeu. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu. Identidade e diferença. Petrópolis: Vozes, 2014, p.12-29.

SOUZA, Elisabete Gonçalves. Sociedade da informação e reestruturação produtiva: crítica à dimensão utilitarista do conhecimento. Transinformação, Campinas, v.23, n.3, p.219-226, set./dez., 2011.

VARELA, Julia; ALVAREZ-URIA, Fernando. A maquinaria escolar. Teoria & Educação, São Paulo, n. 6, 1992, p.7-34.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

VILLAR, José Luiz M. O Utilitarismo e a Educação Profissional no Brasil. Por uma abordagem filosófica da História da Educação Profissional. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação, v.40, nov/2012-abr/2013, p. 120-134.

Downloads

Publicado

2021-02-22

Como Citar

Wanderer, F., & Weinheimer, G. (2021). Utilitarismo repaginado: uma faceta do neoliberalismo contemporâneo . Revista Educar Mais, 5(2), 425-438. https://doi.org/10.15536/reducarmais.5.2021.2270

Edição

Seção

Artigos