Avaliação de sistemas de produção convencional, racionais e orgânicos na cultura da cebola em plantio direto no Alto Vale do Itajaí – SC

Autores

  • Francisco Olmar Gervini Menezes Júnior Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - Epagri
  • Paulo Antônio de Souza Gonçalves Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - Epagri
  • Leandro Luiz Marcuzzo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - IFC/Campus Rio do Sul.

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.15.2018.1123-1136.977

Palavras-chave:

Allium cepa L., racionalização de insumos, florescimento, pós-colheita

Resumo

O uso de fertilizantes e tratamentos fitossanitários nos sistemas de cultivo adotados para a produção de cebola no Estado de Santa Catarina é intensivo. O presente experimento teve por objetivo comparar o sistema de produção convencional, racionais, com redução do uso de fertilizantes e agrotóxicos, e orgânicos, para verificar a possibilidade da redução do uso de insumos e seu efeito sobre a produtividade.  O trabalho foi desenvolvido na Epagri, EEItu, Ituporanga, SC. Utilizou-se o cultivar Empasc 352 - Bola Precoce, transplantada em 04/07/2013 e colhida em 14/11/2013.  Avaliaram-se cinco sistemas de produção: convencional, racional I (adubação oficial recomendada (CQFS-RS/SC), redução do número de aplicações e toxicidade de produtos fitossanitários), racional II (aumento de N e seu parcelamento, P e K conforme CQFS-RS/SC e redução do número de aplicações e toxicidade de produtos fitossanitários), orgânico I (adubação conforme a CQFS-RS/SC e cinco aplicações de fungicida de baixa toxicidade com produtos permitidos para sistemas orgânicos) e orgânico II (aumento de N e seu parcelamento, P conforme CQFS-RS/SC e mesmo tratamento fitossanitário de orgânico I). Doses e parcelamento de N acima das recomendadas condicionam altas produtividades. A racionalização de produtos fitossanitários possibilita a obtenção de altas produtividades com redução do uso de insumos. Sistemas orgânicos produzem 40% menos que sistemas convencional e racionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Olmar Gervini Menezes Júnior, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - Epagri

Possui graduação em Engenharia Agronômica (1994), mestrado (1998) e doutorado (2003) em Produção Vegetal pela Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM) - Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e especialização (2010) em Cultura de Tecidos Vegetais pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Atualmente é Agente Técnico de Formação Superior IV - Pesquisador em Olericultura da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina S.A.? EPAGRI. Foi professor universitário (UFRGS e UERGS), pesquisador bolsista DCR-1(CNPq) e extensionista junto ao SENAR-RS e CODEVASF. Consultor ad hoc da FAPESC e FAPES, e dos periódicos Scientia Horticulturae, Horticultura Brasileira, Ciência Rural, Revista Brasileira de Agroecologia, Revista de Ciências Agroveterinárias e Agropecuária Catarinense. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Olericultura. Desenvolve pesquisas relacionadas a Produção Integrada e Orgânica de Cebola - Allium cepa; Desenvolvimento de cultivares de batata - Solanum tuberosum; e Cultivo sem Solo do Morangueiro - Fragaria x ananassa - em Ambiente Protegido. Coordenador do projeto Produção Integrada de Cebola para o Estado de Santa Catarina. Membro da Comissão da Produção Integrada Agropecuária em Santa Catarina - CEPIB-SC/MAPA.

Paulo Antônio de Souza Gonçalves, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - Epagri

Graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (1985), mestrado em Agronomia (Entomologia) pela Universidade Federal de Lavras (1989) e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (2001). Atua na função de pesquisador desde 1990 na Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina S.A. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Agroecologia, Agricultura orgânica, Entomologia Agrícola. Trabalhos publicados e assessoria nos seguintes temas: manejo ecológico e orgânico de hortaliças com foco em cebola; Allium cepa; manejo ecológico de tripes, Thrips tabaci; agroecologia; agricultura orgânica; manejo ecológico de mosca-das-frutas, Anastrepha fraterculus; homeopatia vegetal. Atua em apoio técnico e assessoria em agroecologia a agricultores. Cursos de Agroecologia e Manejo de Pragas em Cebola para agricultores e técnicos. Possui registrado no sistema de publicações da Epagri (SEPROTEC) 186 trabalhos técnicos em publicações diversas (data 15/03/2018). Desenvolveu 5 produtos tecnológicos (substâncias em altas diluições) para manejo orgânico na cultura da cebola com trabalhos publicados. Desenvolveu 21 processos ou tecnologias para hortaliças com trabalhos publicados. Realizou 166 produções técnicas entre, assessorias, apresentações diversas, trabalhos técnicos e mini-cursos. Participa em 10 projetos registrados no sistema de planejamento da Epagri (SEPLAN) (data 15/03/2018).

Leandro Luiz Marcuzzo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - IFC/Campus Rio do Sul.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC (1999), mestrado em Fitossanidade (Fitopatologia) pela Universidade Federal de Pelotas - UFPel (2002), doutorado em Agronomia (Fitopatologia) pela Universidade de Passo Fundo - UPF (2008) e pós-doutorado (Fitopatologia) pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina S.A - EPAGRI/Estação Experimental de Caçador (2009). Desde 2010 é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - IFC/Campus Rio do Sul. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitopatologia, atuando principalmente nos seguintes temas: epidemiologia, sistema de previsão e manejo integrado de doenças. Pesquisador do Cnpq e Fapesc e orientador de iniciação científica PIBITI/Cnpq e PIBIC/Cnpq desde 2010. Pesquisador no sistema de produção integrada de tomate de mesa e da Produção Integrada de cebola. Membro da Comissão Técnica Nacional da Produção Integrada de Tomate de Mesa e Produção Integrada de cebola pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA. Membro da comissão estadual de produção integrada em Santa Catarina pela Superintendência Federal de Agricultura no Estado de Santa Catarina - SFA/SC. Desenvolveu o sistema de previsão da mancha bacteriana (Xanthomonas spp.) do tomateiro (disponível em http://ciram.epagri.sc.gov.br/agroconnect/ menu: atividade agropecuária - tomate - alerta fitossanitário - mancha bacteriana); do míldio (Peronospora destructor) da cebola (disponível em http://ciram.epagri.sc.gov.br/agroconnect/ menu: atividade agropecuária - cebola - alerta fitossanitário - míldio) e participou na implantação do sistema de previsão do míldio (Plasmopara viticola) da videira (disponível em http://ciram.epagri.sc.gov.br/agroconnect/ menu: atividade agropecuária - videira - alerta fitossanitário - míldio). Projeto aprovado no edital universal do Cnpq em 2013. Em setembro de 2017 proferiu a palestra epidemiology and forecast system in tomato leaf disease in Santa Catarina state no 27 th soil borne plant disease symposium no Plant protection research institute ligado ao ministério da agricultura da África do Sul na cidade de Stellenbosch.

Downloads

Publicado

2018-08-14

Como Citar

Menezes Júnior, F. O. G., Gonçalves, P. A. de S., & Marcuzzo, L. L. (2018). Avaliação de sistemas de produção convencional, racionais e orgânicos na cultura da cebola em plantio direto no Alto Vale do Itajaí – SC. Revista Thema, 15(3), 1123–1136. https://doi.org/10.15536/thema.15.2018.1123-1136.977

Edição

Seção

Ciências Agrárias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>