Efeito de dois métodos de poda da videira ‘Grano D’Oro’ cultivada na região do Planalto Norte Catarinense

Autores

  • Eduarda Schmidt Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil.
  • Douglas André Wurz Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil
  • Thalia Aparecida Silva Maciel Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil
  • Rabechlt Stange Almeida Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil
  • Alcemir Nabir Kowal Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil
  • Thuany Levandoski Jansen Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.V22.2023.141-150.3049

Palavras-chave:

Vitis labrusca L., uvas de mesa, poda de frutificação, maturação tecnológica, índices produtivos

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de dois métodos de poda seca nos índices produtivos e na qualidade da uva ‘Grano D’Oro’, cultivada na região do Planalto Norte Catarinense. O experimento foi conduzido durante os ciclos de produção 2018 e 2019, em vinhedo comercial da videira cultivar ‘Grano D’Oro’, situado em Canoinhas, Santa Catarina. Foram avaliados dois métodos de poda: poda curta, deixando-se esporões com duas gemas, e poda mista, deixando-se varas com quatro gemas e esporões contendo duas gemas para renovação no ano seguinte. Avaliou-se índices vegetativos, produtivos, arquitetura de cachos e maturação tecnológica. O sistema de poda influenciou nas características produtivas e qualitativas da videira ‘Grano ‘D’Oro’. A poda mista resultou em aumento no número de gemas.planta-1, aumento no número de cachos.planta-1 e massa de cacho e, como consequência, proporcionou incremento dos índices produtivos. Desta forma, a poda mista é recomendada para a videira ‘Grano D’Oro’ cultivada na região do Planalto Norte Catarinense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduarda Schmidt, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil.

Acadêmica do curso de Agronomia do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Fui voluntária de projetos de pesquisa e extensão do IFSC, nas áreas da cultura do Lúpulo e de espécies florestais nativas da Mata Atlântica, como Erva-mate e Araucária, e estagiária da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina, atuando na área de defesa sanitária vegetal. Atualmente faço parte do Grupo de Estudos e Pesquisa em Fruticultura e Vitivinicultura no Planalto Norte Catarinense do IFSC.

Douglas André Wurz, Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil

Professor no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC) - Câmpus Canoinhas e Coordenador de Pesquisa, Pós Graduação e Inovação do Campus Canoinhas IFSC. Engenheiro Agrônomo e Sommelier Internacional, com experiência na área de Fruticultura de Clima temperado, Viticultura, Enologia, Análise Sensorial de Vinhos, Enogastronomia e Serviço do Vinho. Mestre e Doutor em Produção Vegetal pelo CAV/UDESC; Especialista em Proteção de Plantas pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), especialista em Manejo de Pomares de Macieira e Pereira (IFSC), e especialista em Agronegócio (Unicesumar). Atua no Curso de Agronomia, Especialização em Desenvolvimento Rural e Sustentável, Curso Técnico em Agroecologia e Curso de Qualificação Profissional na área de Viticultura, Enologia e Análise Sensorial de Vinhos e Espumantes.. Desempenhou Funções de Engenheiro Agrônomo, Gerente de Campo, Recepção de visitantes e degustações em Vinícola. Atuou também como professor de Viticultura, Fitossanidade e Administração e Economia Rural do Curso Técnico de Viticultura e Enologia, da Escola de Ensino Básico Manoel Cruz, em São Joaquim - Santa Catarina Possui qualificação WSET Level 1 Award in Wines (QCF), pela The Wine School & Spirit Education Trust Limited e é Sommelier Internacional pela FISAR/UCS.

Thalia Aparecida Silva Maciel, Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil

Tem experiência na área de Agronomia, cursando graduação na área. Formação de Técnica em Química.

Rabechlt Stange Almeida, Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil

Estudante de Agronomia Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - IFSC. Atua como bolsista voluntária no grupo de Fruticultura do Campus Canoinhas - SC. Estagiária na empresa EngeNorte topografia e engenharia citada no município de Canoinhas. Formada em técnico em Agroecologia no Colégio estadual Duque de Caxias - ensino fundamental, médio e profissionalizante (2015).

Alcemir Nabir Kowal, Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil

Bacharelando em Engenharia Agronômica pelo Instituto Federal de Santa Catarina (2019). Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2011-2015). Possui experiência na áreas de Direito, Administração de Empresas, Marketing e Informática.

Thuany Levandoski Jansen, Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Canoinhas/SC - Brasil

Possui graduação em Tecnologia em Alimentos pelo Instituto Federal de Santa Catarina(2019), curso-tecnico-profissionalizante em Técnico em Administração pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - SC(2016) e ensino-medio-segundo-graupela E.E.B Colombo Machado Salles(2015).

Downloads

Publicado

2023-03-30

Como Citar

SCHMIDT, E.; WURZ, D. A.; MACIEL, T. A. S.; ALMEIDA, R. S.; KOWAL, A. N.; JANSEN, T. L. Efeito de dois métodos de poda da videira ‘Grano D’Oro’ cultivada na região do Planalto Norte Catarinense. Revista Thema, Pelotas, v. 22, n. 1, p. 141–150, 2023. DOI: 10.15536/thema.V22.2023.141-150.3049. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/3049. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Ciências Agrárias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)