Os desafios da Educação Infantil frente à crise pandêmica

do direito à educação ao respeito às especificidades dos bebês e crianças

Autores

  • Danielle Bonamin Flores Secretaria Municipal da Educação de Curitiba – SME, Curitiba/PR – Brasil
  • Marcos Gervânio de Azevedo Melo Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA, Santarém/PA - Brasil

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.V22.2023.500-511.2004

Palavras-chave:

Educação infantil, direito à Educação, pandemia de COVID-19

Resumo

Este estudo articula a reflexão sobre os impactos sociais da pandemia ocasionada pelo COVID-19 na educação infantil e a observância das especificidades do currículo para os bebês e para as crianças pequenas. Para isso, expõe-se como as normativas que embasam essa etapa educacional articulam o direito à educação em um cenário pandêmico e de que modo elas dialogam com as funções sociais e políticas da primeira etapa da educação básica, apoiado nas discussões sobre a indissociabilidade entre cuidado e educação. Embora a legislação educacional destaque as especificidades da infância e a necessidade de adequação de papéis e funções em defesa dos bebês e das crianças, compreendidos enquanto cidadãos de direitos, este estudo se propõe a refletir sobre como isso se revela no cenário nacional a partir da análise da proposição das normativas para essa etapa educacional e a observância de como as necessidades de bebês e crianças têm sido consideradas frente às ações de enfrentamento da crise pandêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danielle Bonamin Flores, Secretaria Municipal da Educação de Curitiba – SME, Curitiba/PR – Brasil

Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal do Paraná (2000), especialista em Práticas Pedagógicas na Educação Infantil e Séries Iniciais do Ensino Fundamental pela Universidade Positivo (2006), especialista em Literatura Infantil e Contação de Histórias pela FAMPER/ FATUM Educacional (2018), mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2012). Desenvolveu pesquisas sobre formação continuada de profissionais da Educação Infantil sob orientação da Prof. Dra. Catarina Moro e sobre o desenvolvimento da linguagem sob orientação da Prof. Dra. Maria Augusta Bolsanello. Atua como pedagoga na Secretaria Municipal da Educação da Prefeitura Municipal de Curitiba e na formação continuada de professores das redes pública e privadas de diversas regiões brasileiras. Autora de materiais didáticos para a Educação Infantil, séries iniciais de formação de profissionais para a Educação Infantil.

Marcos Gervânio de Azevedo Melo, Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA, Santarém/PA - Brasil

Graduado em Licenciatura Plena em Física pela UFPA (1997), Pós-Graduado em Ensino de Ciencias pela UFPA (2004), Mestrado em Ensino de Ciências Exatas pela UNIVATES-RS (2011) e Doutorado em Ensino de Ciências e Tecnologia pela UTFPR (2019). Foi professor da Secretaria de Estado de Educação do Pará de 1997 até 2013 atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino de Física, utilização de jogos educativos no ensino-aprendizagem de Física. Atualmente, é Professor de Física do ICED/UFOPA - Universidade Federal do Oeste do Pará, atuando no Clube de Ciências da UFOPA(CCiUFOPA), vinculado ao Centro Pedagógico e Apoio ao Desenvolvimento Científico - CPADC/ICED. Realiza estudos sobre Alfabetização Científica e Tecnológica no contexto do enfoque CTS.

Downloads

Publicado

2023-08-29

Como Citar

FLORES, D. B.; MELO, M. G. de A. Os desafios da Educação Infantil frente à crise pandêmica: do direito à educação ao respeito às especificidades dos bebês e crianças. Revista Thema, Pelotas, v. 22, n. 2, p. 500–511, 2023. DOI: 10.15536/thema.V22.2023.500-511.2004. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/2004. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Ciências Humanas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)