Acesso, permanência e êxito no Ensino Superior: análise do desempenho acadêmico e da evasão de estudantes no IFCE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.16.2019.115-128.1170

Palavras-chave:

Educação Profissional e Tecnológica, Políticas Públicas Educacionais de Acesso ao Ensino Superior, Desempenho Acadêmico, Evasão.

Resumo

A expansão do Ensino Superior brasileiro nos últimos anos e a adoção de políticas públicas, trouxeram à universidade um número expressivo de estudantes provenientes de escolas públicas e em condições socioeconômicas adversas. Diante dessas condições é necessário que se ofereçam meios para incentivar a permanência e o êxito dos estudantes. Desse modo, o presente artigo objetiva analisar o rendimento acadêmico e a permanência de alunos ingressantes nos cursos superiores do Instituto Federal do Ceará - Campus Fortaleza, observando-se sua progressão através do índice de Rendimento Acadêmico (IRA), a fim de obter dados sobre o impacto da política de cotas na instituição. A amostra foi composta por alunos regularmente matriculados, para cálculo do desempenho, e por egressos sem êxito, para cálculo da evasão. A análise de rendimento revelou que os alunos não cotistas têm um rendimento superior aos cotistas, mas não há uma diferença significativa entre os dois grupos. Na análise da evasão, verificou-se que o número de alunos cotistas evadidos foi menor em quatro dos sete períodos analisados. Conclui-se que é necessário que haja uma mediação para redução dessa diferença a fim de incluir efetivamente os alunos cotistas na instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-05-01

Como Citar

JUCÁ, S. C. S.; CANDIDO, F. G.; SILVA, S. A. da; ALVES, F. R. V. Acesso, permanência e êxito no Ensino Superior: análise do desempenho acadêmico e da evasão de estudantes no IFCE. Revista Thema, Pelotas, v. 16, n. 1, p. 115–128, 2019. DOI: 10.15536/thema.16.2019.115-128.1170. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/1170. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Ciências Humanas