Uma abordagem das atividades experimentais no Ensino de Química: uso da flor Ixora Chinensi como indicador ácido-base

Marcelo Henrique Freitas Saraiva Guerra, Ana Karine Portela Vasconcelos, Eduardo da Silva Firmino, Antônia Clarycy Alves Barros Nojosa, Gabriela Clemente Brito Saldanha, Caroline de Goes Sampaio

Resumo


As Atividades Experimentais (AE) surgem como um método qualitativo favorecedor da contextualização no Ensino de Ciências. Segundo Campos e Nigro (1999) as AE podem ser de quatro tipos: ilustrativas, descritivas, demonstrativas e investigativas. O mais importante por querer utilizar de uma AE não é o de apenas fazer experimentos, mas que ela venha a desenvolver uma visão crítica, que estimule o processo cognitivo do estudante e sirva como ferramenta no processo da aprendizagem. Nesta pesquisa, pretende-se oferecer uma alternativa simples, natural e de baixo custo para o ensino experimental de Química utilizando-se de uma planta facilmente encontrada no Brasil, as flores da Ixora chinensi. O material em questão é de fácil acesso pelos estudantes, pois faz parte do cotidiano deles, desta forma a AE reforça a contextualização do conteúdo de ácido-base, ajudando na melhor compreensão dos conteúdos. As AE fazendo uso com os indicadores foram realizados em uma escola de ensino médio e mostrou eficaz tanto com a função de indicar soluções ácido-base quanto como uma atividade investigativa, pois os estudantes conseguiram elaborar hipóteses e adquiriram um pensamento crítico-científico.

Palavras-chave


Indicador Natural; Atividades Experimentais; Ensino de Química

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15536/thema.15.2018.834-847.926

Revista Thema.

Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia Sul-rio-grandense. Pelotas, RS, Brasil. 


Indexadores / Indexing

Logotipo do Crossref          

  Logotipo do Latindex