Entraves do cultivo convencional e as potencialidades do cultivo orgânico do pimentão no Brasil

Autores

  • Calisc de Oliveira Trecha UFPel
  • Patricia Braga Lovatto UFPel
  • Carlos Rogério Mauch UFPel

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.14.2017.291-302.458

Palavras-chave:

Agrotóxicos, Sustentabilidade, Capsicum annuum L., Agricultura Famíliar, Hortaliça.

Resumo

O pimentão está entre as dez hortaliças mais importantes em termos de valor econômico no Brasil, devido ao uso culinário e suas propriedades nutricionais, além de representar significativa importância na agricultura familiar, sobretudo por fazer a integração desta com a agroindústria. Entretanto, análises feitas pela ANVISA no pimentão desde 2001, demonstram altos índices de irregularidades nas amostras analisadas, sendo 84% ocasionados pela presença de agrotóxicos não autorizados para a cultura, utilizados para controlar doenças e insetos. Considerando a relevância destes dados, amplamente divulgados pela mídia e a demanda cada vez mais freqüente por hortaliças livres de resíduos sintéticos, o objetivo deste estudo é ressaltar os entraves do cultivo convencional e as potencialidades do cultivo orgânico do pimentão através do manejo agroecológico de doenças e insetos. A partir das informações reunidas neste trabalho, verifica-se que a produção orgânica do pimentão é uma prática viável, sendo imprescindível o aperfeiçoamento de novas tecnologias compatíveis a este tipo de produção, formuladas de acordo com a realidade e disponibilidade de recursos da propriedade agrícola familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Calisc de Oliveira Trecha, UFPel

Engenheira Agrônoma formada pela Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM/UFPel - 2009). Possui Mestrado em Agronomia pelo Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar (FAEM/UFPEL- 2014). Atualmente, bolsista CAPES de Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar pela Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitotecnia e Entomologia, atuando principalmente na transição agroecológica, manejo fitossanitário e plantas bioativas.

Patricia Braga Lovatto, UFPel

Possui Graduação em Ciências Biológicas (UNISC/2002), Mestrado em Desenvolvimento Regional (UNISC/2007) e Doutorado em Sistemas de Produção Agrícola Familiar (UFPEL/2012). Faz parte do corpo de professores colaboradores do Programa de Pós Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar da UFPEL, através do programa de pós-doutorado DOCFIX FAPERGS/CAPES (2012/2017). No mesmo período atuou como pesquisadora visitante na Estação Experimental Cascata da EMBRAPA Clima Temperado, concentrando as atividades de pesquisa e extensão na geração e transferência de tecnologias para transição agroecológica. 

Carlos Rogério Mauch, UFPel

Graduado em Agronomia (UFPel, 1988), Mestre em Fitotecnia (UFRGS, 1993) e Doutor em Agronomia (Universidad Politécnica de Valencia-España , 2001), com título revalidado no Brasil como Doutor em Ciências na área de Biotecnologia Agrícola (2001, UFPel). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal de Pelotas, desenvolvendo suas atividades profissionais (ensino e pesquisa) na área de Horticultura/Olericultura. Orientador de mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar da UFPel onde atua na linha de pesquisa ?Processos biológicos nos sistemas de produção agrícola? com ênfase em ?Produção hortícola em sistemas de transição agroecológica?. No âmbito administrativo foi coordenador do PPGAgronomia/UFPel por dois mandatos (2003-2005, 2005-2007), do Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar/UFPel (2009-2011 e 2011-2012) e conselheiro no Conselho Universitário da UFPel (2006-2008). Atua nas atividades de graduação e pós-graduação da UFPel.

Downloads

Publicado

2017-08-05

Como Citar

Trecha, C. de O., Lovatto, P. B., & Mauch, C. R. (2017). Entraves do cultivo convencional e as potencialidades do cultivo orgânico do pimentão no Brasil. Revista Thema, 14(3), 291-302. https://doi.org/10.15536/thema.14.2017.291-302.458

Edição

Seção

Ciências Agrárias