A Pedagogia da Alternância e as Escolas Família Agrícola no Brasil

um estado do conhecimento de 2008 a 2019 em pesquisas stricto sensu

Autores

  • Rafael Leitzke Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSul, Pelotas/RS - Brasil
  • Marcia Helena Sauaia Guimarães Rostas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSul, Pelotas/RS - Brasil

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.V22.2023.29-46.2503

Palavras-chave:

Estado do conhecimento, Educação do Campo, Pedagogia da Alternância

Resumo

O presente artigo apresenta uma pesquisa do tipo Estado do Conhecimento que aponta à utilização da Pedagogia da Alternância em Escolas do Campo no Brasil, além de estudos sobre egressos destas instituições. O trabalho contou com oito pesquisas, sendo sete dissertações e uma tese no período que compreende os anos de 2008 a 2019, um intervalo de 12 anos, no repositório da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBCT) e da Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (CAPES). Como resultados, apontamos a preocupação constante no aperfeiçoamento de métodos; a luta por uma educação do/no campo voltada para o jovem camponês evitando o êxodo rural; pais que percebem a importância da formação escolar dos filhos contrária à visão de que para desenvolver as atividades cotidianas da região a escolarização não era necessária; importância destas escolas para a atuação regional e a inserção em assentamentos, quilombos e comunidades indígenas; além de enfatizar a importância das Escolas Família Agrícola num projeto de sociedade em que a Educação do Campo precisa estar inserida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Leitzke Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSul, Pelotas/RS - Brasil

Bacharel e Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e Mestre em Educação pelo Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul). Foi professor das disciplinas de Histologia do Departamento de Morfologia da Universidade Federal de Pelotas,e professor coordenador da disciplina de Biologia do Pré-vestibular Desafio. Faz parte do quadro de servidores efetivos do Instituto Federal Sul-rio-grandense, atuando na Pró-reitoria de Extensão e Cultura.

Marcia Helena Sauaia Guimarães Rostas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSul, Pelotas/RS - Brasil

Licenciada em Pedagogia (UFMA), Mestre em Economia (UFPE) e Doutora em Linguística e Língua Portuguesa (UNESP-Araraquara). Líder do GP Discurso Pedagógico. Desenvolve estudos na área da Educação, Trabalho e Tecnologia priorizando temas que envolvem desigualdade racial e de gênero, minorias sociais, Educação Popular, Cultura e políticas públicas. Articula seus estudos a partir dos pressupostos do materialismo histórico e dialético. Professor adjunto do Departamento de Graduação e Pós-Graduação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense, campus Pelotas atua como docente permanente do PPG Educação e Tecnologia e como docente na área de Estágio Curricular e Didática na Licenciatura em Computação. Coordena a área da computação PIBID - IFSUL - campus Pelotas. Integra o Banco de Avaliadores do INEP. Integra a Rede Gaucha de Estudos e Pesquisa sobre Educação Profissional e Tecnológica. Atuou como Coordenadora Pedagógica da Licenciatura em computação e como Coordenadora do Curso de Pós-Graduação em Educação, modalidade EaD, no âmbito da Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Downloads

Publicado

2023-03-13

Como Citar

PEREIRA, R. L.; ROSTAS, M. H. S. G. A Pedagogia da Alternância e as Escolas Família Agrícola no Brasil: um estado do conhecimento de 2008 a 2019 em pesquisas stricto sensu. Revista Thema, Pelotas, v. 22, n. 1, p. 29–46, 2023. DOI: 10.15536/thema.V22.2023.29-46.2503. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/2503. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Ciências Humanas