A falácia da culpabilização do professor pelo fracasso escolar

Cláudio José de Holanda Cavalcanti, Matheus Monteiro Nascimento, Fernanda Ostermann

Resumo


Por meio de um estudo empírico, este trabalho apresenta uma crítica ao discurso que afirma que os problemas na formação de professores podem ser a principal causa do fraco desempenho dos alunos em testes escolares e em larga escala. Para fundamentar essa crítica, investigamos os microdados do ENEM de 2016 em conjunto com dois indicadores do INEP referentes à formação de professores e suas condições de trabalho. Defendemos a tese de que as inadequações na formação de professores, por si só, não explicam o bom ou o mau desempenho dos alunos na educação básica e nos testes em larga escala. Nesse sentido, tais insuficiências não podem ser usadas como estratégia para parlamentares e grandes meios de comunicação culparem o professor a fim de ocultar a omissão do Estado em relação à educação básica de nosso país. Por fim, defendemos a urgência de investir em mais políticas públicas que não sejam restritas a programas de formação de professores.

Palavras-chave


Formação de professores; desempenho escolar; ENEM.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15536/thema.15.2018.1064-1088.1059

Revista Thema.

Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia Sul-rio-grandense. Pelotas, RS, Brasil. 


Indexadores / Indexing

Logotipo do Crossref            

Logotipo do Latindex