O desenvolvimento da Cognição Numérica: compreensão necessária para o professor que ensina Matemática na Educação Infantil.

Autores

  • Sidney Lopes Sanchez Júnior Prefeitura Municipal de Cornélio Procópio
  • Marília Bazan Blanco Universidade Estadual do Norte do paraná http://orcid.org/0000-0001-9259-0578

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.15.2018.241-254.805

Palavras-chave:

Cognição Numérica, Matemática, Educação Infantil.

Resumo

A Matemática está presente no universo da criança desde o seu nascimento. Diferentes abordagens procuram entender como se dá o desenvolvimento do conceito de número e das habilidades numéricas na criança, e o presente artigo de revisão tem por objetivo discutir como se desenvolve a Cognição Numérica, a partir da perspectiva da Psicologia Cognitiva e da Neurociência, e a importância deste conhecimento para melhorar a prática do professor que atua no ensino da Matemática com crianças pré-escolares. A partir desta perspectiva, entende-se que a Matemática mais complexa e abstrata evolui de uma mais simples, de origem biológica. A Cognição Numérica é influenciada por fatores, biológicas, cognitivos, educacionais e culturais, sendo que o Senso Numérico inato, constitui o sistema primário, e o sistema secundário é formado pelo Processamento Numérico (Compreensão e Produção Numérica) e Cálculo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sidney Lopes Sanchez Júnior, Prefeitura Municipal de Cornélio Procópio

Professor da rede municipal de Cornélio Procópio e discente do mestrado Profissional em Ensino da Universidade Estadual do Norte do Paraná.

Marília Bazan Blanco, Universidade Estadual do Norte do paraná

Docente do Centro de Ciências Humanas e da Educação e do Mestrado Profissional em Ensino da Universidade Estadual do Norte do Paraná.

Downloads

Publicado

2018-03-01

Como Citar

Sanchez Júnior, S. L., & Blanco, M. B. (2018). O desenvolvimento da Cognição Numérica: compreensão necessária para o professor que ensina Matemática na Educação Infantil. Revista Thema, 15(1), 241–254. https://doi.org/10.15536/thema.15.2018.241-254.805

Edição

Seção

Ciências Humanas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)