Escola, Família e Conselho Tutelar

a construção de um sentimento emergente de direito

Autores

  • Maria Amália Cunha Universidade Federal de Minas Gerais
  • Islaine Natália Demétrio Doutoranda em Educação UFMG

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.V21.2022.976-991.2545

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender a delicada relação existente entre a Escola, a Família e o Conselho Tutelar, bem como a necessária disposição para um trabalho coletivo capaz de fazer emergir um sentimento de direito entre as famílias atendidas. Para tanto, pretende-se aqui discorrer acerca dos dispositivos oficiais a favor das famílias de crianças e dos adolescentes, bem como problematizar os significados que as famílias atribuem à escola e ao Conselho Tutelar. A metodologia de pesquisa baseou-se em entrevistas compreensivas com esses agentes. Como resultado, evidenciou-se a importância de um trabalho de mediação do Conselho Tutelar e duas das maiores agências de socialização do mundo contemporâneo, quais sejam, escola e família.

Palavras-chave: Escola; Conselho Tutelar; Família.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Islaine Natália Demétrio, Doutoranda em Educação UFMG

Professora da Educação Básica e Doutoranda em Educação pela UFMG

Downloads

Publicado

2022-11-21

Como Citar

CUNHA, M. A.; DEMÉTRIO, I. N. . Escola, Família e Conselho Tutelar: a construção de um sentimento emergente de direito. Revista Thema, Pelotas, v. 21, n. 4, p. 976–991, 2022. DOI: 10.15536/thema.V21.2022.976-991.2545. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/2545. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas