Acessibilidade no varejo de moda: entraves e possibilidades no atendimento aos consumidores cegos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/2594-4398.2022.v6.n8.pp.055-073.2705

Palavras-chave:

Varejo de moda, Acessibilidade, Consumidores cegos

Resumo

O objetivo do artigo consiste em verificar as causas da falta de acessibilidade dos consumidores cegos em lojas de varejo para a compra de peças de vestuário. Para tanto, empreendeu-se uma pesquisa qualitativa e descritiva com aplicação de um questionário destinado para 10 pessoas cegas do município de Teresina (PI). Os resultados indicaram como entraves: (I) a falta de placas de sinalização escritas em braile; (II) a presença de escadas sem identificação; (III) a disposição de corredores com obstáculos não sinalizados; (IV) a dificuldade de acesso à loja física; (V) a ausência de atendentes para auxiliar na leitura das etiquetas de vestuário; e (VI) o descumprimento às normas vigentes. Como possibilidades, elencaram-se: (I) a criação de etiquetas táteis; (II) o desenvolvimento de aplicativos móveis; (III) as adequações de espaços físicos para humanizar o acesso de pessoas com deficiência; e (IV) a capacitação e a sensibilização de atendentes, vendedores e profissionais que lidam com o público em geral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jailson Oliveira Sousa, Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)

É mestrando em Design de Vestuário e Moda pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). É pós-graduado em Negócios e Stylist de Moda (2016) pelo Centro Universitário Uninovafapi, bem como em Artes e Tecnologia (2019) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). É graduado em Design de Moda (2015) pelo Centro Universitário Uninovafapi. É técnico em Teatro (2017) pela Escola Técnica de Teatro Professor José Gomes Campos.

Valdecir Babinski Júnior, Universidade do Estado de Santa Catarina

É doutorando em Design pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). É mestre em Design de Vestuário e Moda (2021) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). É pós-graduado em marketing (2018) pela Universidade de São Paulo (USP/ESALQ). É graduado em Moda, com habilitação em Design de Moda (2014), pela Udesc. Atualmente, é professor assistente na Udesc e ministra aulas no bacharelado em Moda.

Lucas da Rosa, Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)

É doutor em Design (2011) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). É mestre em Educação e Cultura (2005) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). É especialista em Moda: Criação e Produção (2002) também pela Udesc. É graduado em Ciências Econômicas (2000) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente, é professor efetivo na Udesc e ministra aulas no bacharelado em moda e no Programa de Pós-Graduação em Design de Vestuário e Moda (PPGModa/Udesc).

Icléia Silveira, Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)

É doutora em Design (2011) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). É mestre em Engenharia da Produção (2003) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e especialista em Atuação Docente em Nível Superior (1980) pela mesma universidade. Também especialista em Moda (1992) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). É licenciada em Geografia (1976) pela UFSC. É professora efetiva da Udesc e ministra aulas no bacharelado em moda e no Programa de Pós-Graduação em Design de Vestuário e Moda (PPGModa/Udesc).

Referências

ABNT — Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15290: Acessibilidade em comunicação na televisão. Rio de Janeiro: ABNT, 2005. 14 p. Disponível em: https://bit.ly/3vr1fwJ. Acesso em: 22 set. 2021.

BAKER, Stacey Menzel; STEPHENS, Debra Lynn; HILL, Ronald Paul. How can retailers enhance accessibility: giving consumers with visual impairments a voice in the marketplace. Journal of Retailing and Consumer Services, [S.L.], v. 9, n. 4, p. 227-239, jul. 2002. Disponível em: https://bit.ly/3ah84qN. Acesso em: 09 out. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência: Estatuto da Pessoa com Deficiência. Brasília, p. 1-34. Disponível em: https://bit.ly/3liQOq2. Acesso em: 08 set. 2021.

BRASIL. Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048 de 8 de novembro de 2000 e 10.098 de 19 de dezembro de 2000. Brasília, s.p. Disponível em: https://bit.ly/3p0exPq. Acesso em: 09 set. 2021.

BRASIL. Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida. Brasília, s.p. Disponível em: https://bit.ly/3l8WKly. Acesso em: 09 set. 2021.

CARDOSO, Eduardo; SILVA, Tânia Luísa Koltermann da. Recursos para acessibilidade em sistemas de comunicação para usuários com deficiência. Design e Tecnologia, Porto Alegre, v. 1, n. 02, p. 8-21, 31 dez. 2010. Disponível em: https://bit.ly/3iZwzxd. Acesso em: 09 set. 2021.

CARLETTO, Ana Claudia, CAMBIAGHI, Silvana. Desenho universal: um conceito para todos. Mara Gabrilli: São Paulo, 2010. Disponível em: https://bit.ly/2YwAj2f. Acesso em: 9 set. 2021.

CARLIN, Fernanda. Acessibilidade espacial em Shopping Centers: um estudo de caso. 2004. 191 f. Dissertação (Mestrado) — Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004. Disponível em: https://bit.ly/3FOi2OH. Acesso em: 12 set. 2021.

CARVALHO, Victoria Brandalise de; QUADROS, Rachel Corrêa de. Daltovest, aplicativo para moda inclusiva: a percepção de pessoas daltônicas em relação aos produtos de vestuário. In: AULER, Daniela; SANCHES, Gabriela (org.). Moda Inclusiva. Barueri: Estação das Letras e Cores, 2018. Cap. 7. p. 195-209.

DIAS, Cláudia. Usabilidade na web: Criando portais mais acessíveis. Rio de Janeiro: Alta Books, 2007.

FERREIRA, Simone Bacellar Leal; SANTOS, Rodrigo Costa dos; SILVEIRA, Denis Silva da. Panorama da Acessibilidade na Web Brasileira. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 31., 2007, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: ANPAD, 2007. p. 1-16. Disponível em: https://bit.ly/3DfC8zx. Acesso em: 10 set. 2021.

FIGUEIREDO, Bernardo. Os novos jardins de loja. Portal da Associação Brasileira de Shopping Centers. Disponível em: https://bit.ly/3aKPuY5. Acesso em: 06 set. 2021.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOODRICH, Kendall; RAMSEY, Rosemary. Are consumers with disabilities receiving the services they need? Journal of Retailing and Consumer Services, [S.L.], v. 19, n. 1, p. 88-97, jan. 2012. Disponível em: https://bit.ly/2YPU0CC. Acesso em: 20 set. 2021.

LIMA, Letícia Bianca Barros de Moraes; CURADO, Raquel Rodrigues Gonçalves; ARAÚJO, André Luiz Mendes. Sou consumidor: percepção de consumidores cegos em restaurantes de um shopping de Brasília (DF). Cenário: Revista Interdisciplinar de Turismo e Território, Brasília, v. 15, n. 8, p. 64-77, 20 jan. 2020. Disponível em: https://bit.ly/3lGXKyM. Acesso em: 20 set. 2021.

LIMA, Niusarete Margarida de. Legislação Federal Básica na área da pessoa portadora de Deficiência. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos — Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, 2007.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

NUNES, Sylvia; LOMÔNACO, José Fernando Bitencourt. O aluno cego: preconceitos e potencialidades. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, v. 12, n. 1, p. 55-64, jun. 2010. Disponível em: https://bit.ly/3tCB3Ov. Acesso em: 09 set. 2021.

SANTOS, Angela Maria Medeiros; COSTA, Cláudia Soares; CARVALHO, Rodrigo Estrella de. O crescimento dos shopping centers no Brasil. São Paulo: BNDES, 1996.

SBVC — Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo. Estudo o varejo e o consumidor com algum tipo de deficiência física. 2019. Disponível em: https://bit.ly/3agoW0U. Acesso em: 30 ago. 2021.

SCHNEIDER, Jéssica et al. Etiquetas têxteis em braille: uma tecnologia assistiva a serviço da interação dos deficientes visuais com a moda e o vestuário. Estudos em Design, Rio de Janeiro, v. 25, n. 1, p. 65-85, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3hkKygf. Acesso em: 8 set. 2021.

SILVA, Juliana Sabino da; CORDEIRO, Taís Virgínia Fidélis; SILVA, Wanessa Relvas da. Wearing What: ferramentas de auxílio à compra de vestimentas para deficientes visuais. 2013. 70 f. TCC (Graduação) — Curso de Sistema de Informação, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3AMxqHM. Acesso em: 8 set. 2021.

TORRES, Josiane Pereira; COSTA, Carolina Severino Lopes da; LOURENÇO, Gerusa Ferreira. Substituição sensorial visuo-tátil e visuo-auditiva em pessoas com deficiência visual: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 22, n. 4, p. 605-618, out./dez. 2016. Disponível em: https://bit.ly/3hocU9C. Acesso em: 22 ago. 2021.

TURCATTO, Andressa Santos. Estampa tátil: etiquetas com elementos do design de superfície para deficientes visuais. 2019. 209 f. Dissertação (Mestrado) — Curso de Pós-Graduação de Design de Vestuário e Moda, Universidade Federal de Santa Catarina, 2019.

Publicado

2022-12-31

Como Citar

OLIVEIRA SOUSA, J. .; BABINSKI JÚNIOR, V.; DA ROSA, L.; SILVEIRA, I. Acessibilidade no varejo de moda: entraves e possibilidades no atendimento aos consumidores cegos. Revista Poliedro, Pelotas, Brasil, v. 6, n. 8, p. 055–073, 2022. DOI: 10.15536/2594-4398.2022.v6.n8.pp.055-073.2705. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/poliedro/article/view/2705. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos