Uso de extrato da madeira Amburana (Amburana cearensis) na produção de aguardente - Análise Sensorial

Autores

  • Lara Brito Souza IFNMG
  • Alexandre Santos Souza IFNMG
  • Lorena Alves Oliveira
  • Rheugma Ferraz Moreira
  • Daniela Caetano Cardoso IFNMG

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.10.2013.138-149.165

Palavras-chave:

Aceitação, Cachaça, Características Sensoriais, Envelhecimento

Resumo

O processo de envelhecimento da cachaça é essencial para aderir valor à mesma, nesse sentido, compostos de madeira tem sido utilizado como alternativa a esse processo, que muitas vezes é demorado, oneroso e de difícil padronização. Este trabalho foi desenvolvido a fim de comprovar que a adição de extrato de madeira à cachaça é uma boa alternativa para os produtores que desejam ter seu produto em circulação no mercado em menor tempo. Foi produzido o extrato da madeira amburana, e este foi adicionado à cachaça não-envelhecida em cinco diferentes concentrações por 120 dias.  Foram realizados testes sensoriais e os mesmos submetidos a testes estatísticos onde ficou comprovado que entre as cinco amostras, três (M30, M40 e M50) não apresentaram diferença significativa entre si, comprovando que a aguardente composta tem boa aceitação e características sensoriais semelhantes às de cachaças armazenadas em barris de Amburana cearensis durante dois anos em menor tempo, com menores custos e perdas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-10-11

Como Citar

Souza, L. B., Souza, A. S., Oliveira, L. A., Moreira, R. F., & Cardoso, D. C. (2013). Uso de extrato da madeira Amburana (Amburana cearensis) na produção de aguardente - Análise Sensorial. Revista Thema, 10(1), 138-149. https://doi.org/10.15536/thema.10.2013.138-149.165

Edição

Seção

Ciências Agrárias