Potencial alelopático de ervilhaca, aveia preta e azevém na germinação e crescimento inicial de sementes de milho

Autores

  • Roselei Aparecida Paulino Acadêmica do Curso de Agronomia. Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc)- São José do Cedro, SC.
  • Bruna Schoenherr Acadêmica do Curso de Agronomia. Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc)- São José do Cedro, SC.
  • Paula da Luz Acadêmica do Curso de Agronomia. Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc)- São José do Cedro, SC.
  • Cristiano Reschke Lajús Professor do Curso de Agronomia da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc)- São José do Cedro, SC
  • Claudia Klein Professora do Curso de Agronomia da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc)- São José do Cedro, SC.
  • Marina Junges Mestranda do Programa de Pós-graduação em Tecnologia e Gestão da Inovação, Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Campus de Chapecó - UNOCHAPECÓ - CHAPECÓ/SC – BRASIL
  • Geraldo Tremea

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.14.2017.33-43.739

Palavras-chave:

alelopatia, plantas de cobertura, doses

Resumo

Plantas de cobertura são importantes para a proteção, manutenção do solo, controle de plantas daninhas e a presença de aleloquímicos que influenciar negativamente a cultura sucessora. Avaliaram-se efeitos alelopáticos de ervilhaca, aveia-preta e azevém na germinação e crescimento do milho. As plantas foram secadas em estufa e trituradas em liquidificador. Os extratos foram obtidos a partir de processo de diluição do material triturado em água destilada a ±60 °C, nas concentrações de 100%, 75%, 50%, 25% e (0%). O delineamento foi inteiramente casualizado, arranjo fatorial 3 x 5 e 4 repetições. Avaliou-se porcentagem de plântulas normais, velocidade de germinação, comprimento da maior raiz, altura da parte aérea. Para plântulas normais e velocidade de germinação não se constatou efeito significativo para plantas de cobertura, para as diferentes doses de extrato houve diferença. O comprimento da maior raiz e altura da parte aérea também foram significativos para interação plantas de cobertura x doses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geraldo Tremea

Acadêmico do Curso de Agronomia, Área de Ciências Exatas e Ambientais, Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Campus de Chapecó - UNOCHAPECÓ - CHAPECÓ/SC – BRASIL

Downloads

Publicado

2017-12-06

Como Citar

Paulino, R. A., Schoenherr, B., da Luz, P., Lajús, C. R., Klein, C., Junges, M., & Tremea, G. (2017). Potencial alelopático de ervilhaca, aveia preta e azevém na germinação e crescimento inicial de sementes de milho. Revista Thema, 14(4), 33-43. https://doi.org/10.15536/thema.14.2017.33-43.739

Edição

Seção

Ciências Agrárias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)