Avaliação da qualidade da água do Rio Ijuí utilizando o teste de micronúcleo em peixes

Autores

  • Emitério da Rosa Neto
  • Günther Gehlen
  • Luciano Basso da Silva Universidade Feevale

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.V21.2022.1008-1015.2925

Resumo

As principais fontes de contaminação do Rio Ijuí são o escoamento superficial das lavouras e o esgoto doméstico. O teste de micronúcleo (MN) em peixes é uma ferramenta útil na avaliação da qualidade da água, indicando a presença de substâncias tóxicas. Este estudo teve como objetivo avaliar a qualidade da água do Rio Ijuí utilizando o teste de MN em uma espécie de peixe nativa da família Characidae. Os indivíduos foram coletados no inverno (2012) e no verão (2013) em dois pontos no Rio Ijuí, distantes aproximadamente 170 Km, os quais apresentam a agricultura como principal atividade econômica, mas diferem em densidade demográfica. A frequência de MN não apresentou diferenças entre os locais. No entanto, em ambos os pontos, a frequência de MN no verão (2,15‰ e 2,13‰, nos pontos 1 e 2, respectivamente) foi significativamente maior do que no inverno (0,35‰ no ponto 1 e 0,45‰ no ponto 2). Não houve diferenças significativas para as outras anormalidades nucleares. Os resultados indicam a ocorrência de variação temporal na contaminação mutagênica da água do Rio Ijuí e que pode estar relacionada às atividades agrícolas, já que o verão é o período em que os agrotóxicos são utilizados com maior frequência na região.

Palavras-chave: Biomonitoramento; genotoxicidade; poluição aquática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-11-21

Como Citar

da Rosa Neto , E., Gehlen, G., & Basso da Silva, L. (2022). Avaliação da qualidade da água do Rio Ijuí utilizando o teste de micronúcleo em peixes. Revista Thema, 21(4), 1008–1015. https://doi.org/10.15536/thema.V21.2022.1008-1015.2925

Edição

Seção

Ciências Biológicas