Bioetanol nos Estados Unidos: análise e perspectivas da produção e pesquisa focando as rotas bioquímicas

Autores

  • Rodolfo Freire Maiche Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense

Palavras-chave:

bioetanol, etanol lignocelulósico, etanol de segunda geração, sacarificação, biomassa.

Resumo

O bioetanol, etanol lignocelulósico ou etanol de segunda geração é obtido a partir da sacarificação de celulose, hemicelulose e pectina presentes na parede celular de biomassas. O bioetanol está sendo amplamente estimulado nos Estados Unidos por ser um substituto direto da gasolina, não competir com culturas agrícolas destinadas à alimentação e por causar menos impacto ambiental. A celulose é o polissacarídeo mais abundante na terra, entretanto esta molécula é muito bem protegida na parede celular de plantas, e hidrolisá-la eficientemente a açúcares fermentáveis para produzir bioetanol a preços competitivos se tornou um dos maiores desafios da biotecnologia moderna. Esta revisão objetiva avaliar a produção e pesquisa de bioetanol nos Estados Unidos focando as rotas bioquímicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodolfo Freire Maiche, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense

Formando do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental, Institudo Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, Campus Pelotas. Ex-bolsista do programa Fulbright, Departamento de Estados dos Estados Unidos, Divisão Educacional.

Downloads

Publicado

2010-10-29

Como Citar

Maiche, R. F. (2010). Bioetanol nos Estados Unidos: análise e perspectivas da produção e pesquisa focando as rotas bioquímicas. Revista Thema, 7(2). Recuperado de https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/29

Edição

Seção

Ciências Exatas e da Terra