Caracterização e agrupamento das etnovariedades de mandioca, do Norte do Mato Grosso, mediante caracteres dos frutos

Autores

  • Viviane Martins UNEMAT
  • Eliane Cristina Moreno de Pedri
  • Ana Aparecida Bandini Rossi

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.V21.2022.323-331.2523

Resumo

No Brasil, a mandioca (Manihot esculenta Crantz) apresenta ampla diversidade genética, sendo uma das culturas de maior importância socioeconômica para o país. Diante disso, objetivou-se neste estudo estimar a diversidade genética existente entre 15 etnovariedades de mandioca, cultivadas no norte do estado de Mato Grosso, por meio de descritores dos frutos. Foram avaliados 75 frutos, sendo cinco de cada etnovariedade. Foi realizada a análise conjunta dos dados qualitativos e quantitativos, com agrupamento pelo método UPGMA. Os resultados indicam que há predomínio de frutos com coloração externa verde e exocarpo rugoso. O comprimento do fruto variou de 16,6 a 19,4 mm, a largura de 16,0 a 17,9 mm e massa de 1,7 a 2,8 g. O dendrograma possibilitou a formação de três grupos distintos, confirmando a variabilidade fenotípica existente entre as etnovariedades, com base nos descritores avaliados. Os descritores dos frutos foram eficientes na detecção da diversidade genética existente entre as etnovariedades de mandioca. A etnovariedade Liberata (ETNO08) destaca-se com a maior variabilidade fenotípica entre o germoplasma avaliado.

Palavras-chave: Macaxeira; Manihot esculenta; variabilidade fenotípica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-05-20

Como Citar

Martins, V., Eliane Cristina Moreno de Pedri, & Ana Aparecida Bandini Rossi. (2022). Caracterização e agrupamento das etnovariedades de mandioca, do Norte do Mato Grosso, mediante caracteres dos frutos. Revista Thema, 21(2), 323–331. https://doi.org/10.15536/thema.V21.2022.323-331.2523

Edição

Seção

Ciências Agrárias