Óleos essenciais no controle in vitro de Sclerotinia sclerotiorum

Autores

  • Julia Portella Unicruz
  • Rodrigo Corbellini Orlandi Unicruz
  • Junior Almeida Unicruz
  • Jana Koefender Unicruz
  • André Schoffel Unicruz
  • Juliane Nicolodi Camera UNICRUZ

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.V19.2021.615-622.2367

Resumo

O mofo-branco é um patógeno que afeta culturas agrícolas, em especial a soja. O manejo da doença é baseado em medidas de controle cultural, químico e biológico. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o efeito dos óleos essenciais sobre o crescimento de Sclerotinia sclerotiorum. O experimento foi conduzido no delineamento inteiramente casualizado, com 6 tratamentos e 5 repetições. Os tratamentos foram constituídos dos óleos essenciais de alho, alecrim, própolis, cravo-botão e melaleuca, além da testemunha. Para a determinação da atividade antifúngica procedeu-se o isolamento monospórico de Sclerotinia sclerotiorum para obtenção das colônias puras. Foram avaliados o crescimento micelial, percentagem de inibição do crescimento e taxa de crescimento micelial. As avaliações foram realizadas aos 3 dias e após em intervalos de sete dias, até as colônias atingirem toda a superfície do meio de cultura. O alho apresentou inibição parcial do crescimento micelial do fungo. O alecrim, própolis, cravo-botão e melaleuca são eficientes para o controle in vitro de Sclerotinia sclerotiorum.

Palavras-chave: Fitopatologia; mofo-branco; alternativa de controle; doenças de plantas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-10-28

Como Citar

Portella , J. ., Corbellini Orlandi, R. ., Almeida, J. ., Koefender, J. ., Schoffel, A., & Nicolodi Camera, J. (2021). Óleos essenciais no controle in vitro de Sclerotinia sclerotiorum. Revista Thema, 19(3), 615-622. https://doi.org/10.15536/thema.V19.2021.615-622.2367

Edição

Seção

Ciências Agrárias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)