O processo de (des)humanização em Guimarães Rosa e Mia Couto

uma análise de “Conversa de bois” e “O dia em que explodiu Mabata-bata”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.V21.2022.643-652.1343

Palavras-chave:

Literatura, Humanização, Desumanização, Guimarães Rosa, Mia Couto.

Resumo

Este texto consiste em uma análise comparativa entre os contos Conversa de bois, de João Guimarães Rosa, e O dia em que explodiu Mabata-bata, de Mia Couto, a fim de identificar os processos de desumanização aos quais estão submetidas as duas crianças dessas narrativas; e posteriormente, os processos de humanização que são desencadeados por meio da ação dos bois presentes nos dois contos. Essa análise fundamenta-se nas concepções teóricas de Ernest Fischer e Antonio Candido sobre a função humanizadora da arte, de modo geral, e da literatura, de forma mais específica; como também baseia-se no pensamento de Benjamin Abdala Júnior sobre a existência de um macrossistema literário constituído pelas literaturas de língua portuguesa. Deste modo, a presente análise constata, nos dois contos, a existência de uma relação tríade entre homens, crianças e bois, que condiciona os processos de desumanização, e suas consequentes ações humanizadoras.

Palavras-chave: Literatura; humanização; desumanização; Guimarães Rosa; Mia Couto.

Palavras-chave: Literatura; humanização; desumanização; Guimarães Rosa; Mia Couto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jildonei Lazzaretti, Universidade Federal de Santa Maria

Mestre em Estudos Literários pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Profissional Técnico do Ensino Superior na Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT).

Downloads

Publicado

2022-07-20

Como Citar

Lazzaretti, J. (2022). O processo de (des)humanização em Guimarães Rosa e Mia Couto: uma análise de “Conversa de bois” e “O dia em que explodiu Mabata-bata”. Revista Thema, 21(3), 643–652. https://doi.org/10.15536/thema.V21.2022.643-652.1343

Edição

Seção

Linguística, Letras e Artes