Prática freelancer em design: os efeitos da falta de formalização na prestação de serviços

Autores

  • Letícia Bento dos Santos Universidade Federal de Pelotas
  • Patrícia Lopes Damasceno Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.15536/2594-4398.2021.v5.n7.pp.745-770.2190

Palavras-chave:

freelancer, design, prática profissional, prestação de serviços, termo de compromisso

Resumo

Resumo: Este artigo apresenta uma pesquisa acerca do profissional freelancer em design em um contexto local, a qual foi realizada como parte de um Trabalho de Conclusão de Curso defendido junto ao curso de Design Digital da Universidade Federal de Pelotas. Isso posto, discute-se aqui a prática profissional freelancer em design através de pesquisa bibliográfica e documental, a fim de compreender certos aspectos característicos do freelancer brasileiro. Em seguida, apresenta-se algumas das problemáticas encontradas por eles frente à precarização do trabalho e falta de formalização contratual. Posteriormente, expõe-se os resultados obtidos por meio da aplicação de um questionário direcionado a designers locais e elenca-se quais elementos são necessários para a formulação de um termo de compromisso.

Palavras-chave: Freelancer; Design; Prática profissional; Prestação de serviços; Termo de compromisso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BELTRÃO, André. Manual do freela: quanto custa o meu design? Gestão financeira para freelancers. Rio de Janeiro: 2AB, 2010.

BIAZZI, Renato, LUQUET, Mara. Quantidade de freelancers cresce no momento de crise e desemprego. Jornal da Globo. Disponível em: <https://glo.bo/36WvK1v>. Acesso em: 21 Nov. 2020.‌

CAMPOS, Daniel. Complexidade no Design: onde reside e porque grandes marcas são simples. Medium. Disponível em: <https://bit.ly/3fohoLm>. Acesso em: 5 Nov. 2020.

GASPARINI, Claudia. O passo a passo para trabalhar como freelancer pela 1ª vez. 2017. Disponível em: <https://bit.ly/3pPAyyn> Acesso em: 31. Out. 2019.

GREGG, Melissa. Work’s Intimacy. Cambridge: Polity Press, 2011. Disponível em:<https://bit.ly/3nLTVXj> Acesso em: 20 out. 2019.

HONG, Kevin; PAVLOU, Paul. Online Labor Markets: An Informal “Freelancer Economy.” Institute for Business and Information Technology (IBIT). Disponível em: <https://bit.ly/336OMkS>. Acesso em: 21 Nov. 2020.

KAPAZ, Ronald et al. O valor do design: guia ADG Brasil de prática profissional do designer gráfico. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2003.

LANDOLFI, Fernanda; BERNARDO, Kelen. O Trabalho Remoto/homeoffice No Contexto Da Pandemia Covid-19: Um Olhar Para O Setor Educacional. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, Grupo de Estudos Trabalho e Sociedade, 2020. Disponível em: <https://bit.ly/339fhpw>

LAUBACHER, Robert; MALONE, Thomas. The Dawn of the E-Lance Economy. Harvard Business Review, 1998. Disponível em: <https://bit.ly/3fnRmYu> Acesso em: 20 out. 2019.

MARCONI, Marina de Andrade. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 3 ed. São Paulo: Atlas, 1996.u

PINHEIRO, Paula. Freelancer: o que é e TUDO que você precisa saber para ser um, Rock Content, 2018. Disponível em: <https://bit.ly/3qneNq6> Acesso em: 2 Dec. 2020.

ROCK CONTENT. Mercado Freelancer. 2019. Disponível em: <https://bit.ly/3flM4N6>. Acesso em: 22 Nov. 2020.

SCHOLZ, Trebor. Digital Labor: The internet as playground and factory. Nova Iorque: Routledge, 2013.

STRUNCK, Gilberto. Viver de design. 6 ed. Rio de Janeiro: 2AB, 2010.

Publicado

2021-12-31

Como Citar

BENTO DOS SANTOS, L.; LOPES DAMASCENO, P. . Prática freelancer em design: os efeitos da falta de formalização na prestação de serviços. Revista Poliedro, Pelotas, Brasil, v. 5, n. 7, p. 745-770, 2021. DOI: 10.15536/2594-4398.2021.v5.n7.pp.745-770.2190. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/poliedro/article/view/2190. Acesso em: 26 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos