Desenvolvimento de queijo tipo Minas frescal caprino adicionado de bactéria probiótica

Autores

  • Aline Brum Argenta Universidade Federal do Paraná
  • Luciane Rosa de Oliveira Universidade Federal de Santa Maria
  • Fabiani Franco de Alves Universidade Federal do Pampa
  • Andreia Medianeira Trindade Bandeira
  • Stela Maris Meister Meira Professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense, campus Bagé/RS.

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.13.2016.8-16.356

Palavras-chave:

Agroindústria, Laticínios,

Resumo

Produtos lácteos caprinos apresentam potencial para diversificação e comercialização, mas são pouco encontrados no mercado. Neste sentido, este trabalho teve por objetivos desenvolver um queijo tipo Minas Frescal caprino adicionado da bactéria probiótica Lactobacilus acidophillus LA-5 e avaliar as características físico-químicas, microbiológicas e sensoriais do produto. As características físico-químicas foram comparáveis a queijos Minas frescal elaborados por outros autores. A contagem de L. acidophilus foi elevada, indicando que o produto pode ser considerado probiótico. Com base na análise sensorial, somando quem compraria e quem possivelmente compraria e o nível de aceitação, acredita-se que haveria mercado para o referido queijo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Brum Argenta, Universidade Federal do Paraná

Graduada em Engenharia de Alimentos pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), Campus Bagé/ RS e Mestra em Engenharia de Processos pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/RS. Atuou como bolsista de iniciação científica nas áreas de secagem, adsorção e tratamento de efluentes. Foi bolsista CAPES desenvolvendo pesquisas no Laboratório de Processos Ambientais (LAPAM) da Universidade Federal de Santa Maria, trabalhando com operação de lixiviação, adsorção e processo de extração com fluido supercrítico. Atuou como Professora Substituta no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense - Campus Bagé/RS, ministrando aulas no curso Técnico Subsequente em Agroindústria. Atualmente é Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Alimentos da Universidade Federal do Paraná, onde trabalha com processos de separação por membranas.

Luciane Rosa de Oliveira, Universidade Federal de Santa Maria

Mestranda em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria, possui graduação em Administração de Empresas pelo Centro Universitário Franciscano (2005), graduação em Programa Especial de Graduação de Formação de Professores pela Universidade Federal de Santa Maria (2014) e graduação em Ciências Contábeis pela Universidade da Região da Campanha (2010).

Fabiani Franco de Alves, Universidade Federal do Pampa

Técnica em Agroindústria pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense, campus Bagé/RS (2015). Atualmente é aluna do curso de Licenciatura em educação do campo - Universidade Federal do Pampa/ Campus Dom Pedrito.

Andreia Medianeira Trindade Bandeira

Técnica em Agroindústria pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense, campus Bagé/RS (2015). Trabalha no Grupo Marfrig/Bagé-RS.

Stela Maris Meister Meira, Professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense, campus Bagé/RS.

Possui graduação em Química Industrial de Alimentos pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ-UERGS, 2008). Possui mestrado (2011) e doutorado (2015) em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente é professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense, campus Bagé/RS. Tem experiência em Bioquímica e Microbiologia de Alimentos, atuando nos temas: bactérias lácticas, probióticos, peptídeos antimicrobianos e peptídeos lácteos bioativos.

Downloads

Publicado

2016-11-11

Como Citar

Argenta, A. B., Oliveira, L. R. de, Alves, F. F. de, Bandeira, A. M. T., & Meira, S. M. M. (2016). Desenvolvimento de queijo tipo Minas frescal caprino adicionado de bactéria probiótica. Revista Thema, 13(3), 8-16. https://doi.org/10.15536/thema.13.2016.8-16.356

Edição

Seção

Ciências Agrárias

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.