O uso da problematização e do pêndulo simples para o estudo da gravidade

Autores

  • Carlos Maximiliano Dutra Universidade Federal do Pampa
  • Melicia de Souza Escola Estadual Instituto Paulo Freire

DOI:

https://doi.org/10.15536/thema.16.2019.10-23.1157

Palavras-chave:

Gravidade, Física, Experimentação, Pêndulo.

Resumo

No presente trabalho propomos um experimento de Pêndulo Simples para determinação da aceleração da gravidade por estudantes de uma Escola de Ensino Médio do município de Uruguaiana/RS. O Pêndulo Simples consiste em um “peso” suspenso por um fio e o experimento consiste na análise do período de oscilação deste pêndulo. Verificou-se experimentalmente a independência do período do Pêndulo em relação à massa do seu “peso” e espessura do seu fio e apresentando uma variação com o comprimento do seu fio, fator esse que influencia na determinação da aceleração da gravidade pela experiência do Pêndulo Simples. Como resultado encontrou-se um valor médio de g = 9,92 m/s2, que representa um erro relativo de 1,30% em relação ao valor teórico de Uruguaiana, corrigido por altitude e latitude. O uso da experimentação proporcionou o desenvolvimento do espírito científico nos estudantes numa interação mais significativa entre eles e o conteúdo, tornando o processo de ensino aprendizagem mais dinâmico e atrativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Maximiliano Dutra, Universidade Federal do Pampa

Bacharel em Fisica. Mestrado em Fisica UFRGS. Doutorado em Ciências UFRGS. Professor Associado na Universidade Federal do Pampa. Professor Orientador do Programa de Pós Graduação Strictu Sensu de Educação em Ciências: Quimica da Vida e Saúde.

Melicia de Souza, Escola Estadual Instituto Paulo Freire

Licenciada em Fisica pela PUC-RS. Professora de Física do Ensino Médio da Escola Estadual Instituto Paulo Freire, Uruguaiana/RS

Downloads

Publicado

2019-05-01

Como Citar

Dutra, C. M., & Souza, M. de. (2019). O uso da problematização e do pêndulo simples para o estudo da gravidade. Revista Thema, 16(1), 10-23. https://doi.org/10.15536/thema.16.2019.10-23.1157

Edição

Seção

Ciências Exatas e da Terra