Vieses manhosos de uma academia que acha não os ter

Autores

  • Pedro Demo Universidade de Brasília
  • Renan Antônio da Silva Centro Universitário do Sul de Minas

DOI:

https://doi.org/10.15536/reducarmais.4.2020.2038

Palavras-chave:

Ensaio Crítico, Formação Docente, Escola.

Resumo

Talvez por conta da pandemia de 2020, as pessoas estejam mais contritas e sensíveis. Temos visto algumas reiterações da pedagogia do amor, em geral citando Maturana, que tem sido o principal patrono da ideia. Nada mais necessário, também verdadeiro. No entanto, fica o gosto amargo de hipocrisia institucional, ao vermos que nosso sistema de ensino é tudo, menos pedagogia do amor. Pode soar a pieguice sonsa. Vejo alguns educadores encantados com a ideia, pelos quais tenho o maior respeito, porque sei de sua integridade e competência acadêmica, mas fico pensando até que ponto é viável curtir esta ideia da pedagogia do amor, não só porque é estranha ao contexto eurocêntrico cartesiano, mas porque soa a cortina de fumaça para encobrir uma política educacional incrivelmente perversa. Aprendizagem quase não existe, sobretudo no Ensino Médio (EM), não levamos quase nada para a vida da escola e a série histórica do Ideb desde 1995 escancara um sistema inepto, para não dizer inútil, sem perspectiva de mudança. A miséria educacional atravessa os governos, independentemente da ideologia, porque o instrucionismo é a postura padrão, hoje globalizada, também acolhida oficialmente no PISA: o sistema é tipicamente de “ensino”, instrução, baseada na aula copiada para ser copiada, conteudista, tal qual aprecia a escola privada.

 

Biografia do Autor

Pedro Demo, Universidade de Brasília

Possui graduação em Filosofia - Bom Jesus (1963) e doutorado em Sociologia - Universität Des Saarlandes/Alemanha (1971). Professor titular aposentado da Universidade de Brasília, Departamento de Sociologia. Professor Emérito. Fez pós-doutorado na UCLA/Los Angeles (1999-2000). Tem experiência na área de Política Social, com ênfase em Sociologia da Educação e Pobreza Política. Trabalha com Metodologia Científica, no contexto da Teoria Crítica e Pesquisa Qualitativa. Pesquisa principalmente a questão da aprendizagem nas escolas públicas, por conta dos desafios da cidadania popular. Publicou mais de 100  livros.

Renan Antônio da Silva, Centro Universitário do Sul de Minas

Pesquisador Titular no Departamento de Pesquisa do Centro Universitário do Sul de Minas (Unis). Professor e Pesquisador Visitante no Programa de Pós - Graduação em Educação pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Pesquisador Colaborador Júnior junto ao Programa de Pós Graduação em Direitos Humanos e Cidadania da Universidade de Brasília - UnB. Pós - Doutor pelos seguintes Programas: Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN),  Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista (UNESP/ Marília), História pela University of Warwick (Reino Unido),  Educação pela Universidad de Sevilla (Espanha), Ciências Sociais e do Comportamento pela Universidade da Coruña (Espanha),  Educação pela Universidade Estadual Do Sudoeste Da Bahia (UESB), Ensino pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), História pela Universidade de Évora (Portugal) e em Políticas Públicas pela Universidade de Mogi das Cruzes. Pós - Doutorando em Direitos Humanos e Cidadania pela Universidade de Brasília (UnB) e em Ensino pela UNIVATES. Doutor  em Educação Escolar (2018) pela UNESP/ Araraquara. Realizou o Estágio Doutoral com bolsa CAPES/PDSE, junto ao Centro em Investigação Social (CIS) pelo Instituto Universitário de Lisboa - ISCTE - Portugal (2015-2016). Mestre em Desenvolvimento Regional e Políticas Públicas (2014). Licenciado em Ciências Sociais (2011). Editor Colaborador nos Periódicos Temas em Educação e Saúde , DOXA: REVISTA BRASILEIRA DE PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO (UNESP) e  Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação (RIAEE). Participa, como pesquisador das Cátedras Unesco -  José Saramago, Universidade do Vigo (Espanha), Research and Social Responsibility in Higher Education, University of Victoria (Canadá) e  Intangible and Tradicional Know-how: Linking Heritage (Universidade de Évora) e da Cátedra  Ignacy Sachs (PUC/SP).Membro Honorário Dell Accademia di Scienze Umane -  Pontificia Università Urbaniana (Itália). Membro Honorário na National Science Teaching Association (EUA), na NATIONAL ACADEMY OF EDUCATIONAL SCIENCES OF UKRAINEU (Ucrânia) e Membro Honorário da American Anthropological Association (fundada por Franz Boas em 1902). Foi Docente Permanente no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas (PPG-PP) da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) com bolsa PNPD/CAPES. Líder no Grupo de Pesquisa em Ensino Profissional e Formação Docente e Discente - GPEPFDD (UNIS/MG).Líder no Grupo de Pesquisa em Educação, Cultura, Memória e Arte (GPECUMA - UNESP). Pesquisador Convidado no Centre for Citizenship, Conflict, Identity and Diversity (University of Huddersfield).  Pesquisador no  Grupo de Investigación Escritoras y Escrituras - Universidad de Sevilla. Pesquisador Associado em dois projetos na  Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Foi Consultor no United Nations Educational, Scientific, and Cultural Organization (UNESCO).  Foi Professor - Visitante na Universidade Estadual do Tocantins (UNITINS). Publicou mais de 90  artigos científicos, capítulos de livros, 08 livros e organizou outras 8 obras. Escreve e pesquisa ao lado dos renomados professores Dra. Maria Cecília de Souza Minayo e Dr. Pedro Demo. Recebeu diversos prêmios e honrarias (Títulos de Cidadania). Membro editorial em 15 periódicos. Membro do Comitê Científico Nacional da Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação (Qualis A2). Avaliador Ad Hoc em 36 revistas científicas, destacando os  seguintes  periódicos:  Educação e Pesquisa USP, Revista Ciência & Saúde Coletiva  Fiocruz e Educational Philosophy and Theory.

Referências

ANUÁRIO BRASILEIRO DA EDUCAÇÃO BÁSICA (ABEB), 2019. Todos pela Educação/Moderna. São Paulo - https://www.todospelaeducacao.org.br/_uploads/_posts/302.pdf

ARMSTRONG, E.A. & HAMILTON, L.T. 2013. Paying for the party – How college maintains inequality. Harvard U. Press, Cambridge.

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR (BNCC). 2018. Educação é a Base. MEC, Brasília - http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

BID - ELACQUA, G., HINCAPIÉ, D., VEGAS E., ALFONSO, M. 2018. Profissão Professor na América Latina – Por que a docência perdeu prestígio e como recuperá-lo? BID, N.Y. https://publications.iadb.org/handle/11319/8953

BOK, D. 2017. The struggle to reform our colleges. Princeton U. Press.

BOURDIEU, P. 1996. A Economia das Trocas Linguísticas. EDUSP, São Paulo.

BRASIL É UMA ‘VERGONHA’ EM QUALQUER PARÂMETRO DE ENSINO, diz Ministro. Educação G1 – http://g1.globo.com/educacao/noticia/2016/11/brasil-e-uma-vergonha-em-qualquer-parametro-de-ensino-diz-ministro.html

BRENNAN, J. & MAGNESS, P. 2019. Cracks in the Ivory Tower: The moral mess of higher education. Oxford U. Press.

CAMPELLO, T. & NERI, M.C. (Orgs.). 2013. Programa Bolsa Família – Uma década de inclusão e cidadania. Ipea, Brasília.

CAPLAN, B. 2018. The case against education: Why the education system is a waste of time and money. Princeton U. Press.

COELHO, E.C. 1988. A Sinecura Acadêmica: A ética universitária em questão. Vértice, Rio de Janeiro.

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. 2020. Câmara dos Deputados. https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/constituicao1988/arquivos/ConstituicaoTextoAtualizado_EC%20105.pdf

COTTOM, T.M. 2017. Lower Ed: The troubling rise of for-profit colleges in the new economy. The New Press, N.Y.

DARLING-HAMMOND, L. & LIEBERMAN, A. (Eds.). 2012. Teacher Education around the World – Changing policies and practices. Routledge, London.

DARLING-HAMMOND, L. 2013. Getting teacher evaluation right: What really matters for effectiveness and improvement. Teachers College Press, N.Y.

DEMO, P. 2016. PNE – Uma análise crítica. Papirus (e-book).

DEMO, P. 2017. Alfabetização 2016 – https://docs.google.com/document/d/e/2PACX-1vQZyfes8Nys6c3e6bm54EpZS_RpPrjIehI3Ftp93KlJ8UL3uR4p312rPZpmnxZkmnaUvsutE_Rm19oA/pub

DEMO, P. 2017a. Sobral está sobrando! O que Sobral tem que outros não têm? https://docs.google.com/document/d/1LmTbbbQMUuU49L-a8Wlei-TdwcttStuQ4UboW2SMIlY/pub

DEMO, P. 2017b. Questionando a graduação – https://docs.google.com/document/d/1y-OhRkIY-Lb_Y2P-0eVntZZQBY79MbPY4fSdA8TSol4/edit

DEMO, P. 2018. Atividades de aprendizagem – Sair da mania do ensino para comprometer-se com a aprendizagem do estudante. SED/Gov. MS, Campo Grande – https://drive.google.com/file/d/1FKskDCxNB422PVhrjrDjD48S4cjsb77-/view

DEMO, P. 2019. Direitos Humanos Supremacistas à Brasileira – De como fabricar cidadanias privilegiadas – https://drive.google.com/file/d/1q9IkToL5jPHSSfEXbJa8DAy8n-KWORjM/view

DEMO, P. 2019a. Resistências “federais” à EaD. https://drive.google.com/file/d/1bdO3v_nF24Hb1U-5HqiSoCEIFForihjK/view

DEMO, P. 2020. Em nome do nada, amém! – https://drive.google.com/file/d/182RhCgiaid1rnSPL7exQyzre_2kBR6mq/view

DEMO, P. 2020a. Educação à Deriva – À direita e à esquerda: instrucionismo como patrimônio nacional – https://drive.google.com/file/d/10nMlgL8N9GKFgwtnbL-bIn7GQf0HdyA4/view

DEMO, P. 2020b. O que resta da escola na vida – https://drive.google.com/file/d/1swMQ-4m1DKJ4Nhfa_CbxrR4upYKZLPBG/view

DEMO, P. 2020c. Renda Básica – https://drive.google.com/file/d/1y6VdrxfgsUQ2Fbwx-QiQyfdlBMAutVcJ/view

DEMO, P. 2020d. Igualdade é coisa de pobre – privilégio é o que importa – Ensaios sobre manobras de exclusão social e políticas educacionais. Amazon.

DEMO, P. 2020e. Aprender com suporte digital – Atividades autorais de aprendizagem – https://drive.google.com/file/d/1eyB_EJS-20fMQ73QIyZxx_8qbvT577aO/view

DERESIEWICZ, W. 2014. Excellent sheep – The miseducation of the American elite & the way to a meaningful life. Free Press, N.Y.

FOUCAULT, M. 1977. Vigiar e punir - História da violência nas prisões. Vozes, Petrópolis.

FUMAGALLI, A., GIULIANI, A., LUCARELLI, S., VERCELLONE, C. 2019. Cognitive capitalism, welfare and labor: The commonfare hypothesis. Routledge.

GERRISH, S. & SCOTT, K. 2018. How smart machines think. The MIT Press.

GOLDSTEIN, D. 2014. The Teacher Wars: A history of America’s most embattled profession. Doubleday, N.Y.

HABERMAS, J. 1980. A Crise de Legitimação do Capitalismo Tardio. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro.

HABERMAS, J. 1989. Consciência Moral e Agir Comunicativo. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro.

HARARI, Y.N. 2015. Sapiens: A brief history of humankind. Harper, London.

HOFFMAN, D. 2015. Vemos a realidade como ela é? TED – https://www.ted.com/talks/donald_hoffman_do_we_see_reality_as_it_is?language=pt-br

HOFFMAN, D. 2019. The case against reality: Why evolution hid the truth from our eyes. Norton, N.Y.

HUBBARD, D.W. 2010. How to Measure Anything: Finding the Value of Intangibles in Business. Wiley, N.Y.

IOSCHPE, G. 2004. A Ignorância Custa um Mundo - O valor da educação no desenvolvimento do Brasil. Francis, São Paulo.

LEE, K-F. 2018. AI Superpowers: China, Silicon Valley, and the new world order. Houghton Mifflin Harcourt, N.Y.

MEANS, A.J. 2018. Learning to save the future: Rethinking education and work in an era of digital capitalism. Routledge, London.

MELO, W. 2017. Professores(as): lutar pela democracia e valorização! Sinpro Pernambuco – https://sinpropernambuco.org/1951-2/

MÉSZÁROS, I. 2004. O Poder da Ideologia. Boitempo, São Paulo.

MILANOVIC, B. 2019. Capitalism, alone – The future of the system that rules the world. Harvard U. Press.

OLIVEIRA, F. & RIZEK, C.S. (Orgs.). 2007. A Era da Indeterminação. Boitempo, São Paulo.

PACCHIONI, G. 2018. The overproduction of truth: Passion, competition, and integrity in modern science. Oxford U. Press.

PACHECO, J. 2014. Aprender em Comunidade. SM, São Paulo.

PACHECO, J. 2019. Inovar é assumir um compromisso ético com a educação - https://mail.google.com/mail/u/0/#inbox/KtbxLrjNcfBChBxsgpmHXhZzHrrcrFTklB?projector=1&messagePartId=0.1

PIKETTY, T. 2020. Capital and Ideology. Harvard U. Press.

RINDERMANN, H. 2018. Cognitive Capitalism – Human Capital and the wellbeing of nations. Cambridge U. Press.

RUSSELL, S. 2019. Human Compatible – Artificial intelligence and the problem of control. Viking, N.Y.

SCHMIDT-SALOMON, M. 2005. “Ich weiss nur dies, dass ich kein Marxist bin...” – Karl Marx und die Marxismen – Aufklärung und Kritik, Sonderhefte 10/2005 - http://www.schmidt-salomon.de/marxismen.pdf

SCHNEIDER, S. 2019. Artificial You: AI and the future of your mind. Princeton U. Press.

SFEZ, L. 1994. Crítica da Comunicação. Loyola, São Paulo.

SPAUTZ, D. 2019. Escolas federais custam menos que as militares e têm desempenho superior no Enem. NSC TOTAL, 8 de Janeiro – https://www.nsctotal.com.br/colunistas/dagmara-spautz/escolas-federais-custam-menos-que-as-militares-e-tem-desempenho-superior

WU, T. 2016. The attention merchants: The epic scramble to get inside our heads. Knopf, London.

YOUNG, M. 1958. The rise of the meritocracy, 1870-2033. Pellican.

ZHAO, Y. 2012. World class learners: Educating creative and entrepreneurial students. Corwin, N.Y.

ZHAO, Y. 2014. Who is afraid of the big bad dragon: Why China has the best (and the worst) education system in the world. Jossey-Bass, San Francisco.

ZHAO, Y. 2018. What works may hurt – Side effects in education. Teachers College Press.

ZHAO, Y. 2018a. Reach for greatness: Personalizable education for all children. Corwin, Thousand Oaks.

ZUBOFF, S. 2019. The Age of Surveillance Capitalism: The fight for a human future at the new frontier of power. Profile Books, N.Y.

Downloads

Publicado

2020-10-08

Como Citar

Demo, P., & Antônio da Silva, R. (2020). Vieses manhosos de uma academia que acha não os ter. Revista Educar Mais, 4(3), 659-685. https://doi.org/10.15536/reducarmais.4.2020.2038

Edição

Seção

Artigos